(Lançamento) Mercedes-Benz apresenta “trio elétrico” EQA250, EQB250 e EQE300

Três elétricos de uma vez, essa foi a estratégia da Mercedes brasileira. Os SUVs EQA250 e EQB250, além do sedanzão EQE300, passam a ser importados para o mercado nacional, mas dois deles você já conhece. De uma forma diferente, mas conhece: o EQA é a versão elétrica do GLA200, SUV de cinco lugares com jeitão de hatch, enquanto o EQB é um GLB200, sete lugares, só que elétrico. O sedan EQE é inédito, não tem versão a combustão, mas se aproxima de um Classe E.

Foto: Mercedes-Benz/divulgação

Mesmo os dois que tem origem em outros modelos passaram por várias modificações na plataforma, estrutura, mecânica, visual e tecnologias para se tornarem eletrificados. Por essas e outras que merecem até outro nome. O preço do trio é alto: R$480.900 pelo EQA250, R$502.900 pelo EQB250 e R$709.900 pelo EQE300. Alguns benefícios já estão inclusos nessas cifras (veja no fim da matéria).

EQA250

Foto: Mercedes-Benz/divulgação

O primeiro do trio, que em sua variante a combustão conta com o motor 1.3 turbo desenvolvido em parceria com a Renault, passa a oferecer um propulsor dianteiro 100% elétrico, desenvolvendo 190 cv de potência e 39,3 mkgf de torque máximo imediato. Sua tração é dianteira, e com esse conjunto, o EQA pode acelerar de 0 a 100 km/h em cerca de 8,5 segundos. A velocidade máxima é limitada em 160 km/h.

Foto: Mercedes-Benz/divulgação

Seu conjunto de baterias de íon-lítio tem 66,5 kWh e está no assoalho, como de praxe. Com ele, a Mercedes declara quase 500 km de alcance total pelo ciclo WLTP. A recarga é feita por regeneração durante condução (mínima), em carregadores de carga rápida (Wallbox, tomadas residenciais ou maioria dos eletropostos), ou nos eletropostos de carga super-rápida. O tempo varia de 30 minutos (100 kW) até 06h40min (11 kW).

Foto: Mercedes-Benz/divulgação

Nas dimensões o modelo continua sendo um misto entre hatch grande, crossover e SUV pequeno, com 4,44 m de comprimento, cerca de 1,85 m de largura e 1,61 m de altura. A distância entre os eixos é de 2,73 m, enquanto o porta-malas comporta 340 litros. Para efeito de comparação, seu porte é próximo ao de um Peugeot 3008 atual.

Foto: Mercedes-Benz/divulgação

Por aqui será vendido com pacote AMG Line, que oferece visual mais esportivo, rodas exclusivas, detalhes em aço escovado pela cabine e outros diferenciais. O conteúdo de série é próximo ao de um GLA200 AMG Line completo. O EQA250 vem importado da Alemanha.

EQB250

Foto: Mercedes-Benz/divulgação

Derivado do GLB200, SUV de sete lugares que, por sua vez, é parente do GLA200, o EQB250 é feito na Hungria e traz o mesmo conjunto propulsor do EQA250. Ou seja, tem os mesmos 190 cv e 39,3 mkgf de torque, mas, por ser maior e mais pesado, é um pouco mais lento: vai de 0 a 100 km/h em 9 segundos, ainda cravando os 160 km/h de velocidade máxima.

Foto: Mercedes-Benz/divulgação

A Mercedes-Benz diz que ele é o primeiro SUV de sete lugares 100% elétrico vendido no Brasil, ainda que esse título, na verdade, pertença ao BYD Tan EV, disponível por aqui desde março. As baterias do EQB também tem 66,5 kWh de capacidade, mas a autonomia muda por conta da carroceria maior, mais pesada, e com aerodinâmica ligeiramente inferior à do EQA: cerca de 475 km (WLTP).

Foto: Mercedes-Benz/divulgação

O sete lugares elétrico tem quase 4,7 m de comprimento, também 1,85 m de largura e beira os 1,7 m de altura. Aqui o entre-eixos é mais generoso, passando dos 2,82 m, enquanto o porta-malas tem 495 litros de capacidade.

EQE300

Foto: Mercedes-Benz/divulgação

Único sedan dentre as novidades, o EQE é um rival de Tesla mundo afora. Por aqui deve bater de frente com o BYD Han EV, outro grandalhão elétrico de três volumes que custa R$540 mil. Surpreende o coeficiente de arrasto (Cx) de apenas 0,20 nesse Mercedes, o que faz valer o alcance próximo a 650 km com uma carga completa em suas baterias de íon-lítio com 89 kWh de capacidade. Elas também estão no assoalho.

Foto: Mercedes-Benz/divulgação

De motor elétrico traseiro, e consequentemente tração traseira, o EQE desenvolve 245 cv de potência com 56 mkgf de torque. Seu conjunto permite desempenho interessante, como comprova o 0 a 100 km/h em cerca de 7,5 segundos. Aqui a velocidade máxima é de 210 km/h, mas ainda com limitador eletrônico. O sedan também é alemão, mas não sai da mesma planta que o EQA250. Um de seus destaques são as rodas traseiras esterçantes em até 10º, que facilitam em manobras.

Foto: Mercedes-Benz/divulgação

A regeneração também é feita nas desacelerações e frenagens durante condução, enquanto a recarga verdadeira segue os padrões dos outros elétricos da marca: carga lenta, em cerca de 10h, ou carga rápida, em 33 minutos. O EQE300 é bem grande, beirando os 4,95 m de comprimento, 1,85 m de largura e nada menos que 3,12 m de entre-eixos. A altura é limitada, de 1,50 m, mas o porta-malas de 430 litros agrada. Detalhe que sua tampa traseira é integrada ao vidro.

Foto: Mercedes-Benz/divulgação

Benefícios

Já disponível nas treze concessionárias da marca que lidam com elétricos, o trio EQA250, EQB250 e EQE300 vem com carregador residencial particular de 11 kW (wallbox), instalado pela Enel X. Além disso, a Mercedes-Benz inclui ainda três anos de manutenção preventiva, as chamadas revisões programadas, como benefícios inclusos nos preços dos carros.

Compartilhar:
Com 21 anos, está envolvido com o meio automotivo desde que se conhece por gente através do pai, Douglas Mendonça. Trabalha oficialmente com carros desde os 17 anos, tendo começado em 2019, mas bem antes disso já ajudava o pai com matérias e outros trabalhos envolvendo carros, veículos, motores, mecânica e por aí vai. No Carros&Garagem produz as avaliações, notícias, coberturas de lançamentos, novidades, segredos e outros, além de produzir fotos, manter a estética, cuidar da diagramação e ilustração de todo o conteúdo do site.