Citroën C3 Aircross é revelado: veja detalhes e fotos do futuro concorrente da Chevrolet Spin

A Citroën apresentou hoje o C3 Aircross, misto de SUV e minivan com base no hatch compacto C3. O nome renasce de um monovolume aventureiro de projeto francês que foi vendido no Brasil nos anos 2010, e também derivava do C3. O Novo Aircross, assim como o Novo C3, é de projeto indiano, idealizado para países emergentes. A chegada na América do Sul deve acontecer no final do ano, mas na Índia o lançamento será bem antes.

Foto: Citroën/divulgação

A novidade, que será vendida em versões de cinco ou sete lugares, vem para tentar desbancar a veterana Chevrolet Spin, que hoje reina sozinha no mercado de minivans abaixo dos R$150 mil. Diferentemente do que o público apostava, o novo Aircross tem várias diferenças visuais e de projeto com relação ao pequeno C3, passando inclusive a impressão de um modelo mais caro e refinado que o hatch. Isso deverá ser cumprido.

Foto: Citroën/divulgação

Apesar de ser chamado de B-SUV, a novidade é mais minivan do que utilitário, num conceito próximo ao do seu rival Spin, inclusive. É o segundo carro da trinca de novos produtos que a Citroën vai lançar no Brasil: começou com o hatch compacto C3, o próximo é esse Aircross, e o terceiro elemento, ao que tudo indica, será um sedan compacto.

Falando do C3 Aircross, ele terá a opção de pintura em dois tons para o mercado brasileiro, capô elevado, estilo aventureiro e dianteira que lembram as do C3 hatch. O conjunto óptico frontal também é bem parecido com o do compacto, mas na porção traseira ele adota identidade própria em todas as linhas. Destaque para a altura do solo, de 20 cm, e bom ângulo de saída, segundo a fabricante.

Foto: Citroën/divulgação

Nas dimensões, são cerca de 10 cm a menos que sua rival Spin (4,32 m, contra 4,42 da GM), mas chamam a atenção os 1,80 m de largura (a minivan Chevrolet tem 1,74 m). A distancia entre eixos é de 2,67 m, ou 13 cm a mais que o C3 hatch (são 2,62 m na Spin). A Citroën fala ainda em 489 litros de capacidade para o porta-malas, maior que todos os SUVs compactos do mercado nacional.

Foto: Citroën/divulgação

A cabine do Aircross não deverá ser muito diferente daquela que equipa o Novo C3: painel, volante, laterais de porta e as duas fileiras de bancos serão praticamente iguais, mas com acabamento exclusivo (e mais refinado). Para se diferenciar, haverá finalmente um novo quadro de instrumentos, digital personalizável, com tela de 7”.

Foto: Citroën/divulgação

A multimídia de 10”, mesma do C3 hatch, será item de série do novo modelo, serão até cinco portas USB espalhadas pela cabine e há um apoio de braço para o motorista. Existe grande possibilidade da novidade trazer itens não oferecidos no hatch compacto hoje, como mais airbags (laterais e/ou de cortina), ar-condicionado automático digital e conjunto óptico em LED. As versões mais caras têm rodas de liga-leve aro 17.

Foto: Citroën/divulgação

Como diferenciais, nos carros de sete lugares, a terceira fileira de assentos (dividida em duas poltronas individuais) pode ser removida, aumentando sobremaneira o porta-malas, que assim cresce para mais de 510 litros. Além dela, a ventilação dos passageiros traseiros é outra exclusividade: ela fica no teto, saindo de um túnel horizontal instalado acima dos encostos dos bancos dianteiros. São quatro saídas individuais e ajustáveis, além do controle próprio do nível da ventilação. Próximo dela há uma luz de leitura traseira.

Foto: Citroën/divulgação

A motorização continua sendo segredo: a Citroën fala apenas em “uma moderna e exclusiva gama de motores e câmbios, projetados e calibrados de acordo com a necessidade de cada país da América do Sul”. As maiores apostas vão para os já conhecidos motor 1.6 16v EC5 (até 120 cv de potência e 15,7 mkgf de torque), além do 1.0 turboflex tricilíndrico de origem Fiat (até 130 cv de potência e 20,4 mkgf de torque).

Motor 1.0 Turboflex (Foto: Fiat/divulgação)

As transmissões poderão ser a manual de 5 marchas (mesma do C3 1.6 manual, de projeto PSA) ou a CVT com simulação de 7 velocidades (feita pela Aisin), em conjuntos já existentes. A caixa automática de 6 marchas é outra possibilidade. Demais itens mecânicos virão do C3 hatch: direção elétrica, suspensões McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira, freios a disco ventilado na frente e tambores atrás.

Foto: Citroën/divulgação

Ainda é cedo pra falar em preços, mas a ideia é tê-lo na faixa da Chevrolet Spin. Na inflação e valores atuais, claro: até o final do ano, esses números serão outros, certamente maiores. Em média, as versões de entrada do Novo C3 Aircross deverão se situar na faixa dos R$105 mil, chegando aos R$130 ou R$135 mil nas mais completas.

Compartilhar:
Com 21 anos, está envolvido com o meio automotivo desde que se conhece por gente através do pai, Douglas Mendonça. Trabalha oficialmente com carros desde os 17 anos, tendo começado em 2019, mas bem antes disso já ajudava o pai com matérias e outros trabalhos envolvendo carros, veículos, motores, mecânica e por aí vai. No Carros&Garagem produz as avaliações, notícias, coberturas de lançamentos, novidades, segredos e outros, além de produzir fotos, manter a estética, cuidar da diagramação e ilustração de todo o conteúdo do site.