(Avaliação) Fiat Fastback 1.0 turbo num equilíbrio interessante

Fastback é a menina dos olhos de ouro da Fiat, não só porque é dele o título de carro de passeio mais caro da marca, mas também por colocar a fabricante italiana no mundo dos SUVs. Ainda de quebra, o Fastback é um coupé. Aquele ritmo de sucesso do início (foram 5 mil carros em dez dias), não se manteve, como sempre acontece, mas as vendas seguem dentro das expectativas da Fiat brasileira. Grande parte é por conta das versões 1.0 turbo, em especial a intermediária Impetus, mais interessante da linha. Porque? Vamos lá…

Fastback Impetus: melhor de três (Foto: Lucca Mendonça)

A Limited Edition 1.3 turbo, que até agora não fez jus ao nome de edição limitada, é um carro esportivo. Tem 185 cv, suspensões mais endurecidas, outro comportamento mecânico (e dinâmico), um design mais apimentado e todo o background da expertise da Abarth. SUV coupé esportivo, tanto que anda quase como um VW Polo GTS. As versões 1.0 turbo são mais “civilizadas”, digamos assim, e miram outros SUVs consagrados (e nada esportivos) do mercado, como Honda HR-V 1.5 aspirado, Hyundai Creta 1.0 turbo, Chevrolet Tracker 1.0 turbo e cia. São feitas para quem não faz questão de tanta potência e torque.

Nesse caso, a Fiat coloca o 1.0 tricilíndrico turbo, chamado de T200 (T de Turbo e 200 dos N.m de torque). É o mesmo motor dos Pulse Audace e Impetus, e estará na Strada em breve. A entrega é de 125/130 cv de potência e pouco mais de 20 mkgf de torque a baixíssimos 1.750 rpm, ou seja, há bastante força logo cedo e, graças ao turbo, ela chega rápido. A linha T200 ainda vem com o câmbio CVT de sete marchas simuladas, que, no Fastback, opera suave e progressivo, mas ainda mais ágil que nos carros 1.3 aspirados, como por exemplo o Cronos. Principalmente no modo manual, onde simula melhor as velocidades.

Apesar de pesado, o Fastback 1.0 turbo CVT até deixa para trás todos os seus concorrentes 1.0 turbo de câmbio automático convencional, melhor prova são seus números de desempenho oficiais (veja na ficha técnica abaixo). Responde bem, mas sem dar trancos nem patinar, mostrando um bom acerto da engenharia. E, cá entre nós, 20 mkgf é bastante coisa. No uso urbano, sem pressa, o motor quase nunca passa das 2 mil rpm, onde já há todo o torque disponível. A 120 km/h, vai a 2.400 rpm.

Mesmo 1.0 turbo, o Fastback deixa para trás até rivais com motor maior em algumas situações, como Chevrolet Tracker 1.2 turbo (Foto: Lucca Mendonça)

Os melhores números de consumo também aparecem na estrada, onde ele conseguiu cravar 11,5 km/l de etanol. Na cidade, mesmo rodando da forma mais econômica, foram, no máximo, 8 km/l. Conta fácil: ele gastou um tanque de 47 litros de etanol em 440 km rodados entre cidade e estrada, ou seja, média geral de 9,3 km/l. Por ser 1.0 com injeção direta e projeto moderno, deveria beber menos.

O cara das fotos, versão Impetus, custa 145,5 mil, ou R$13 mil a menos que a Limited Edition 1.3 turbo. Apesar de intermediária, tem cara de topo de linha com as rodas aro 18 diamantadas (bem bonitas por sinal), detalhes cromados e em black piano (sem cafonices), LED em praticamente toda as lâmpadas e, por dentro, é praticamente idêntica a sua irmã esportiva mais cara. Não deve nada à ninguém.

O interior do Fastback é igual ao do Pulse, ergonômico. É bom para quem olha, mas abusa um pouco do plástico e o nível de acabamento é razoável, nada surpreendente. A Fiat sabe trabalhar bem com cores, formatos e texturas, por isso a impressão visual é bem melhor. Há aquele console central parecido com o dos Jeep, que acomoda o freio de mão eletromecânico e valoriza o conjunto, fora o “baú” debaixo do porta-copos que pode esconder coisas de valor. O que passou batido no primeiro Fastback testado é que não há tomada 12 Volts em lugar nenhum do carro, mas sim várias portas USB e carregador wireless.

Nessas versões 1.0 turbo é nítido um conjunto de suspensões mais macio e suave, em que pese rodas/pneus idênticos aos da Limited Edition esportiva. Nos carros 1.3 turbo, molas e amortecedores precisam dar conta do powertrain bem mais poderoso, principalmente na hora de contornar curvas ou nas acelerar mais forte. O 1.0 turbo acaba sendo mais confortável e competente na missão absorver nosso asfalto lunar. Dinamicamente, se comporta bem como SUV: carroceria tem pouca rolagem lateral, não inclina tanto, muito pelo seu formato fastback (daí vem o nome) e mais baixo.

O carro não desaponta na condução nem dinâmica (Foto: Lucca Mendonça)

Espaço há bastante, tanto na frente quanto atrás, onde três não encontram muitos problemas pra viajar. O entre-eixos é pequeno, o mesmo do hatch Argo (2,52 m), mas com disposição inteligente de bancos e painel, o que faz dar folga aos ocupantes. Junto do console central vieram saídas de ar traseiras, ainda bem. Isso, mais o porta-malas descomunal de 600 litros, lembram que ele ainda é um SUV. Cabe uma família e suas tralhas, tudo fácil de acomodar.

Pena que aquela tampa traseira enorme e seus acabamentos igualmente grandes (e plásticos) sejam a maior fonte de ruído interno. Em pisos ruins, chega a incomodar. Pelo menos é só ela: motor e câmbio se mostraram bem isolados acusticamente, assim como o restante da mecânica. Como já dito na avaliação do 1.3 turbo, o coupé da Fiat cumpre sua meta: produto diferenciado, acima do Pulse, mas sem grandes alterações de projeto, mecânica ou plataforma MLA, que infelizmente ainda não é modular como uma CMP (Peugeot/Citroën) ou MQB (Volkswagen).

Impetus: melhor negócio?

Provavelmente. Abaixo dela, na Audace, existe um carro bem mais simples (bancos em tecido e instrumentação analógica quase igual a de Argo/Cronos), que não custa tanto a menos assim. E, convenhamos, quem compra um Fastback “básico” pensa pelo menos três vezes num Pulse 1.0 turbo topo de linha, já que os dois se aproximam no preço. O consumidor do SUV coupé é outro, mais endinheirado, que parte logo para o carro completo. E, seguindo a lógica de “exclusivo” do 1.3 turbo, esportivo, o grande público que não precisa dos 185 cv vai de Impetus.

Ficha técnica:

Concepção de motor: 999 cm³, flex, três cilindros, 12 válvulas (quatro por cilindro), turbo, injeção direta de combustível, comando de válvulas único no cabeçote, variador de fase no escapamento, MultiAir, bloco e cabeçote em alumínio
Transmissão: automática tipo CVT com simulação de sete marchas e opção de trocas manuais na alavanca ou paddle-shifts
Potência: 125/130 cv a 5.750 rpm (gasolina/etanol)
Torque: 20,4 mkgf a 1.750 rpm (gasolina/etanol)
Suspensão dianteira: independente, McPherson, com barra estabilizadora
Suspensão traseira: eixo de torção com molas helicoidais
Direção: com assistência elétrica progressiva
Freios: discos ventilados na dianteira e tambores na traseira
Pneus e rodas: Continental Premium Contact 6, medidas 215/45 e rodas de liga-leve aro 18
Dimensões (comprimento/largura/altura/entre-eixos): 4,42 m/1,77 m/1,54 m/2,53 m
Porta-malas: 600 litros
Tanque de combustível: 47 litros
Peso em ordem de marcha: 1.262 kg
Aceleração 0 a 100 km/h: 9,7/9,4 segundos (gasolina/etanol)
Velocidade máxima: 190/193 km/h (gasolina/etanol)
Preço básico: R$145.490 (carro avaliado: R$147.480)

Itens de série:

Câmera Traseira HD Com Linhas Adaptativas, Roda Esportiva de Liga-Leve 18”, Sensor De Estacionamento Traseiro, Alto Falantes Dianteiros (2), Alto Falantes Traseiros (2), Tweeters (2) E Antena, Ar-condicionado Automático E Digital, Retrovisores Externos Com Rebatimento Elétrico e Iluminação de Cortesia, Console Central Com Apoio De Braço, Banco Do Motorista Com Regulagem De Altura, Vidros Elétricos Dianteiros E Traseiros Com Função One Touch E Antiesmagamento, Faróis, Lanternas e Luzes de Neblina Em LED, Piloto Automático, AEB (frenagem Autônoma De Emergência), LDW (alerta De Mudança Involuntária De Faixa), AHB (comutação Automática De Farol Alto), ESS (sinalização De Frenagem De Emergência), ASR (controle Eletrônico De Tração), Banco Traseiro Rebatível Bipartido 60/40, Quadro De Instrumentos 7″ Full Digital Multifuncional Personalizável, ESP (controle Eletrônico De Estabilidade), Freio De Estacionamento Eletrônico Com Função Auto Hold, Alertas De Limite De Velocidade E Manutenção Programada, Função “Follow Me Home”, 4 Airbags – 2 Frontais e 2 Laterais Dianteiros, TC+ (Bloqueio Eletrônico do Diferencial), Wireless Charger (carregador Do Celular Por Indução), Volante Multifuncional Em Couro Com Regulagem De Altura E Profundidade, Partida Remota Via Chave Canivete, Saídas Do Ar Condicionado Para Os Bancos Traseiros, Hill Holder (assistente De Partida Em Rampa), Retrovisor Interno Fotocrômico, Multimídia De 10,1″ com Apple Car Play E Android Auto Wireless, Comandos De Voz, Bluetooth, Mp3, Rádio AM/FM, Entrada Auxiliar, 2 Portas USB, Chave Presencial, Portas USB Traseiras, TPMS (monitoramento De Pressão Dos Pneus), Bancos Revestidos Em Couro, Modo Sport Com Botão De Acionamento No Volante, Sensor De Chuva E De Luminosidade, Alarme Antifurto, Faróis De Neblina Dianteiros em LED Com Função Cornering Light, Paddle Shifters (aletas Para Mudança De Marcha No Volante)

Compartilhar:
Com 21 anos, está envolvido com o meio automotivo desde que se conhece por gente através do pai, Douglas Mendonça. Trabalha oficialmente com carros desde os 17 anos, tendo começado em 2019, mas bem antes disso já ajudava o pai com matérias e outros trabalhos envolvendo carros, veículos, motores, mecânica e por aí vai. No Carros&Garagem produz as avaliações, notícias, coberturas de lançamentos, novidades, segredos e outros, além de produzir fotos, manter a estética, cuidar da diagramação e ilustração de todo o conteúdo do site.