Ram Rampage: o que esperar da picape nacional? Tamanho, motor, equipamentos e mais

A Stellantis está avançando forte no segmento das picapes: a Strada deve ganhar motor turboflex em breve, enquanto a Titano, no estilo chassi/cabine, será outra boa nova da Fiat. Falando de Peugeot, a Landtrek deverá colocar a marca do leão no segmento de Toyota Hilux, Ford Ranger e Chevrolet S10, enquanto a Ram cresce de vento em popa nas vendas.

 

E, aproveitando o sucesso das 1500, 2500 e 3500, que emplacam cada vez mais, vem aí uma Ram nacional, feita na planta de Goiana (PE), ao lado dos Jeep e da Fiat Toro. E é justamente da Toro que a Rampage, seu nome confirmado, vai derivar: ela usará a plataforma modular SWP 4×4, Small Wide Platform, carroceria monobloco, suspensões independentes nas quatro rodas, quatro freios a disco e por aí vai.

Foto: Ram/divulgação

A base moderna e construção como a de carros de passeio, fará dela uma caminhonete nos moldes da Ford Maverick: confortável, com pouco pula-pula, e porte intermediário entre uma Toro e uma Hilux, por exemplo. Portanto, podemos esperar algo com cerca de 5,1 m de comprimento e 1,8 m de altura, superando também os 1,8 m na largura e passando dos 3 metros de distância entre-eixos. A aposta é que, nas versões mais potentes, a Rampage carregará cerca de 1 tonelada.

Foto: Ram/divulgação

A nomenclatura das versões de acabamento não deve fugir do padrão das Ram norte-americanas: Big Horn, Laramie, Limited, R/T e a Rebel, das fotos, com visual mais esportivo. Na mecânica, a Rampage estreará no Brasil o motor Hurricane 4, um 2.0 turbo a gasolina com quatro cilindros e injeção direta, que entrega cerca de 265 cv de potência e 40 mkgf de torque,  mas virá também com o conhecido 2.0 16v Multijet turbodiesel, que, na picape, terá a configuração do Jeep Commander: 170 cv e 38,7 mkgf.

Para se distanciar da Fiat Toro, a Ram Rampage contará sempre com transmissão automática de 9 marchas, a caixa ZF, e tração 4×4 com reduzida e seletor de tipos de terreno. A transmissão será comandada por um botão giratório no console central, próximo da tecla de acionamento do freio de mão eletromecânico e sistema Auto Hold, também de série.

Foto: Ram/divulgação

Seguindo no interior, um dos destaques da nova picape será o acabamento caprichado, bem superior ao de outras picapes do mesmo porte, vários luxos e tecnologias a bordo, como pede o público da marca: painel de instrumentos digital (10,2”), multimídia grande (horizontal), bancos em couro, sistema de ar-condicionado digital automático dual zone, banco com ajustes elétricos, retrovisor interno fotocrômico, ao menos 6 airbags, vários assistentes de condução, faróis e lanternas full LED etc.

Seu nome, Rampage, em inglês significa agitação, algazarra, alvoroço, fuzuê, e não é inédito: entre 1982 e 1984, batizou uma picape monobloco de cabine simples nos EUA. A antiga Rampage, ao contrário do que sugeria seu nome, foi um fracasso e saiu de linha pelas baixas vendas. Alvoroço foi o que ela menos causou, contrariando o sucesso quase garantido dessa nova Rampage 2024: a futura Ram nacional deve agitar não só o segmento das caminhonetes monobloco, como também o de picapes chassi/cabine.

A chegada ao mercado, ou início da pré-venda, não deve demorar, e ainda nesse trimestre (que termina em setembro), a Ram Rampage já estará disponível para venda na rede de concessionárias da marca. Lembrando que a picape já começou a ser fabricada, com direito a visita do atual presidente Lula em sua linha de produção. Preço? Pelo menos R$230 mil, isso pela versão de entrada, a mais em conta.

Foto: Ram/divulgação
Compartilhar:
Com 21 anos, está envolvido com o meio automotivo desde que se conhece por gente através do pai, Douglas Mendonça. Trabalha oficialmente com carros desde os 17 anos, tendo começado em 2019, mas bem antes disso já ajudava o pai com matérias e outros trabalhos envolvendo carros, veículos, motores, mecânica e por aí vai. No Carros&Garagem produz as avaliações, notícias, coberturas de lançamentos, novidades, segredos e outros, além de produzir fotos, manter a estética, cuidar da diagramação e ilustração de todo o conteúdo do site.