(Avaliação) Fiat Cronos Drive 1.3 manual é a melhor escolha na relação custo X benefício

De início, já digo que o Cronos, de uma maneira geral, foi aprovado com direito a alguns méritos. Para uma família de até quatro integrantes, mesmo que grandes, o sedan da Fiat dá muito bem conta do recado. Seu porta-malas de 525 litros é elogiável, e ele se destaca nesse quesito do seu irmão Argo, que, com características mecânicas e de espaço interno iguais, possui um porta-malas bem mais contido, com 300 litros. No restante, os dois são bem semelhantes, mas o Cronos mostrou-se mais adequado para uso familiar, principalmente quando o assunto é viagem.

Seu motor 1.3 de quatro cilindros é bastante compacto e moderno, com comando de válvulas único no cabeçote e duas válvulas por cilindro, apesar de construtivamente simples, é dócil no desempenho, com boas respostas ao comando do acelerador, e mostrando como principal qualidade o baixo consumo de combustível, tanto com Etanol quanto com Gasolina.

Esse moderno propulsor desenvolve até 109cv e 14,2 mkgf de torque máximo com etanol, disponível a partir de 3.250rpm, e trabalha em conjunto com uma transmissão manual de 5 marchas, com engates curtos e um tanto imprecisos, mas nada a ponto de incomodar. Segundo o Inmetro, com o combustível derivado da cana, o Cronos 1.3 com câmbio manual faz 8,9 km/l na cidade e 10,4 km/l na estrada. Já com Gasolina, as médias sobem para 12,5 km/l na cidade e 14,7 km/l na estrada. Minhas médias de consumo, com álcool, foram sempre de 9,5/10,0 km/l na cidade e 15,5/16,0 km/l na estrada, sempre rodando em velocidades de 90 a 100 km/h.

Um dos pontos que chamam atenção no Cronos é o bom aproveitamento dos seus 2,52 m de entre-eixos. Eu, com 1,84 m de altura e meu filho, com 1,86 m de altura, conseguimos sentar um atrás do outro sem nenhum aperto, mantendo até os joelhos longe do painel. Uma situação particularmente rara de ser encontrada em um carro dessas dimensões, mas isso serviu para mostrar que a concepção do seu interior foi muito bem pensada, prevendo o conforto mesmo para as pessoas mais altas. Guiando, nota-se outro destaque do modelo: o sistema de direção é bastante preciso, com respostas rápidas mesmo nos desvios mais bruscos, e, juntamente com os freios eficientes e as suspensões bem calibradas, garantem uma dirigibilidade bastante agradável a esse sedan Fiat.

Sem opcionais, essa versão Drive 1.3 manual parte de R$65,8 mil, mas o carro das fotos está equipado, além da cor perolizada, com o pacote de opcionais S-Design, uma série especial que adiciona vários equipamentos (rodas de liga-leve aro 15, ar-condicionado automático, retrovisores e vidros traseiros elétricos, faróis de neblina, além da personalização externa). Juntos, pintura e pacote especial somam R$5.700 ao valor do carro, elevando o preço desse Cronos à exatos R$71.480. De série, essa versão vem com ar-condicionado; direção elétrica; travas e vidros dianteiros elétricos; central multimídia de 7” com conexões Android Auto/Apple CarPlay; painel de instrumentos com tela digital multifunção de 3,5”; computador de bordo; volante multifuncional com ajuste de altura; entre outros.

Bastante elogiável, o sedan italiano se sai bem em diversos aspectos, mas com o preço cobrado por um carro igual ao das fotos, já vale dar uma olhada, por exemplo, em um Virtus 1.6 MSI (A partir de R$74.500) que, apesar de não dispor de alguns equipamentos presentes no Cronos e ter um acabamento mais simples, oferece motor mais potente (1.6 com até 117 cv e 16,5 mkgf de torque), maior espaço interno (generosos 2,65 m de entre-eixos) e porta-malas igualmente grande.

Compartilhar:
Douglas Mendonça
Jornalista na área automobilística há 45 anos, trabalhou na revista Quatro Rodas por 10 anos e na Revista Motor Show por 24 anos, de onde foi diretor de redação de 2007 até 2016. Formado em comunicação na Faculdade Cásper Líbero, estudou três anos de engenharia mecânica na Faculdade de Engenharia Industrial (FEI) e no Instituto de Ensino de Engenharia Paulista (IEEP). Como piloto, venceu a Mil Milhas Brasileiras em 1983 e os Mil Quilômetros de Brasília em 2004, além de ter participado em competições de várias categorias do automobilismo brasileiro. Tem 64 anos, é casado e tem três filhos homens, de 17, 28 e 31 anos.
Ainda não há comentários! Seja o primeiro a comentar.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *