VW lança o crossover Nivus por R$86 mil: e agora T-Cross 200 TSI?

Talvez você estranhe o título, pensando “como um lançamento pode atrapalhar a vida de outro modelo superior da mesma marca?”, mas sim, isso acontece, e esse é um dos casos. O lançamento da Volkswagen, batizado de Nivus, chegou para preencher uma lacuna na linha da fabricante alemã: com o SUV compacto T-Cross (leia aqui o comparativo entre todas as suas versões) partindo de pouco mais de R$88 mil na versão 200 TSI com motor 1.0 turbo, câmbio manual de 6 marchas e lista de itens de série bem modesta, faltava algum pseudo-offroad que oferecesse mais conteúdo por um preço menor (e que tivesse um câmbio automático de série, como pede o mercado). Daí surgiu o Nivus, posicionado como utilitário esportivo de entrada da marca e categorizado como crossover coupé, por conta do caimento acentuado do vidro traseiro e pelo perfil baixo, estilo um tanto excêntrico que divide opiniões.

Derivado do Polo, de quem herda itens como o teto, portas dianteiras, parabrisas, entre outros, o Nivus compartilha também a base modular MQB A0 com o hatch, tendo os mesmos bons 2,56m de entre-eixos. A mecânica é única, e também conhecida em alguns outros VW: o econômico e ágil motor 1.0 TSI de 128cv e 20,4 mkgf de torque (etanol), aliado ao câmbio automático Aisin de 6 marchas. Segundo dados oficiais, com esse conjunto motor/câmbio, o Nivus faz de 0 a 100 km/h em 10 segundos e bate os 189 km/h de velocidade máxima. Para a proposta do carro, o desempenho está de muito bom tamanho.

 

E por falar em tamanho, quando comparado ao irmão maior T-Cross, o Nivus também é mais comprido (4,26 m contra 4,19 m), tem porta-malas bem maior (415 contra 373 litros, nada menos que 42 litros), e ambos tem praticamente a mesma largura (1,76 m do SUV compacto contra 1,75 m do irmão novato), mas ele perde quando o assunto é altura (1,57 m do T-Cross contra 1,49 m), e, principalmente, no entre-eixos (2,65 m contra 2,56 m do crossover coupé), isso porque o T-Cross usa a “versão alongada” da base A0, assim como o sedan Virtus, enquanto o Nivus compartilha exatamente a mesma plataforma do hatch Polo, que é menor.

 

Prometido para estar em todas as concessionárias VW do Brasil a partir de agosto, o novo crossover da VW chega em duas versões: Comfortline (R$85.890) e Highline (R$98.290), ambas trazendo de série alguns destaques como 6 airbags, controles eletrônicos de estabilidade e tração, assistente de partida em rampas, faróis de LED, saídas de ar-condicionado traseiras, entre outros. Além disso, a versão de entrada Comfortline ainda conta com rodas de liga-leve aro 16, sensores de estacionamento traseiros, multimídia de 6,5” com câmera de ré, volante multifuncional, e obviamente os triviais ar-condicionado, direção elétrica, conjunto elétrico (vidros, travas e retrovisores), entre outros.

 

A topo de linha Highline traz também o painel digital Active Info Display de 10,2”, sistema de frenagem autônoma emergencial, sistema Front Assist, piloto automático adaptativo (ACC), frenagem pós-colisão, detector de fadiga, ar-condicionado automático digital, sensores de estacionamento dianteiros, faróis de neblina em LED, rodas de liga-leve aro 17, sensores de chuva e crepuscular, bancos de couro sintético, chave presencial, além dos exclusivos volante com paddle-shifts vindo do Golf geração 8 alemão e central multimídia VW Play, desenvolvida totalmente no Brasil, com tela generosa de 10,1”, sem botões físicos e contando com diversas funções como conexão à internet, função de agendamento de revisões na rede autorizada VW, loja de aplicativos para download (podendo ser instalado Deezer, Waze e até iFood, por exemplo), 10GB de armazenamento disponível para arquivos gerais, várias formas de conexão com celular, etc.

 

Mas e os T-Cross 200 TSI, como ficam?

T-Cross 250 TSI

Mesmo o Nivus sendo de um segmento inferior ao de seu irmão T-Cross, ele é mais longo, tem (muito) mais porta-malas, e alguns bons equipamentos exclusivos, não disponíveis nem como opcionais no SUV compacto. Tudo isso custando menos. Para se ter uma ideia, o T-Cross 200 TSI, versão de entrada, custa pouco menos de R$89 mil (cerca de R$3 mil mais caro que o Nivus Comfortline), e vem com o mesmo motor 1.0 turbo do crossover, mas com o enorme porém do câmbio, que é manual de 6 marchas, e, além disso, esqueça os faróis de LED, saídas de ar-condicionado traseiras e central multimídia de 6,5”: nada disso é oferecido no T-Cross de entrada, que só leva vantagem por ter sensor crepuscular e entre-eixos maior. Se adicionarmos o câmbio automático de 6 marchas (que traz junto o piloto automático, central multimídia de 6,5” e paddle-shifts para trocas de marcha no volante), esse preço salta para pouco mais de R$96,5 mil, ou seja, apenas aproximadamente R$1.200 a menos que o Nivus Highline, infinitamente mais recheado de equipamentos e com acabamento superior.

 

Fora essa versão de entrada, o T-Cross ainda conta com a intermediária Comfortline 200 TSI, equipada com exatamente o mesmo conjunto motor/câmbio do Nivus, e menos “pelada” de equipamentos: já traz painel digital, ar-condicionado automático digital, iluminação ambiente em LED (painel e região dos pés), chave presencial, multimídia de 8”, seletor de modos de condução, entre outros. O preço dela? Exatamente R$110.260. Lembrando que, com exceção da multimídia, que provavelmente migrará também para o T-Cross em breve, os sistemas de frenagem autônoma emergencial, Front Assist, piloto automático adaptativo e detector de fadiga ainda são exclusividade do Nivus.

 

No final, a não ser que você faça questão dos 9 cm a mais no entre-eixos e um teto um pouco mais alto, o Nivus acaba sendo uma opção muito mais lógica, e acaba tendo uma relação custo X benefício muito mais atraente, tanto na versão Comfortline quanto na Highline, quando comparado ao T-Cross nas configurações com motor 1.0 TSI. A história só muda quando falamos da versão Highline do SUV compacto, que já é equipada com o motor 1.4 TSI de 150 cv e 25,5 mkgf de torque, com desempenho mais aguçado (e preço mais salgado). Mas, na dúvida, o melhor é ir de novidade e levar um Nivus pra casa.

 

Compartilhar:
Com 21 anos, está envolvido com o meio automotivo desde que se conhece por gente através do pai, Douglas Mendonça. Trabalha oficialmente com carros desde os 17 anos, tendo começado em 2019, mas bem antes disso já ajudava o pai com matérias e outros trabalhos envolvendo carros, veículos, motores, mecânica e por aí vai. No Carros&Garagem produz as avaliações, notícias, coberturas de lançamentos, novidades, segredos e outros, além de produzir fotos, manter a estética, cuidar da diagramação e ilustração de todo o conteúdo do site.