VW Fusca 1987: a história das 5 unidades produzidas no Brasil

Foto de capa: José Luiz

O Fusca foi um modelo de grande sucesso vendido pela VW em diversos países do mundo, incluindo o Brasil. Projetado em 1938 por Ferdinand Porsche, teve sua primeira unidade vendida no mercado nacional em 17 de janeiro de 1950 pela concessionária Sabrico, em São Paulo.

Fusca foi de importado à nacional logo que as vendas cresceram (Foto: VW/divulgação)

Sua montagem em solo Tupiniquim se deu início em 1953, e em 1958 eram finalizadas 4.819 unidades, número que já justificava o início da sua produção oficial no Brasil. Em 1959 foi lançado o VW Sedan 1200, e já neste ano, 16.825 unidades foram comercializadas. Para a época, um sucesso.

Dentre várias modificações, a estrutura básica permaneceu a mesma ao longo dos anos, diferentemente do modelo alemão que ganhou nova plataforma em 1971 com o lançamento do VW 1302.

Sua estrutura básica durou muito tempo por aqui (Foto: VW/divulgação)

Com poucas modificações, virou o queridinho dos brasileiros por sua mecânica resistente, manutenção barata, consumo comedido de combustível e seu carisma, afinal, muitos se simpatizavam (e simpatizam até hoje) por suas linhas arredondadas e tamanho diminuto.

Mas nos anos 80, a soberania foi deposta, quando em 1983 o GM Chevette tirou o posto do Fusca de carro mais vendido do Brasil, após 24 anos na liderança consecutiva. A VW proveu mais melhorias, e em 1984 o Fusca passou a ser um carro de bom custo-benefício. Seu motor passou a ser exclusivamente 1.6, ganhou freios a disco de série em toda a linha, além de alternador de maior capacidade.

Para 1984, quando o Fusca já havia perdido a liderança de vendas, a VW promovia mudanças (Foto: VW/divulgação)

Com 1600 cilindradas, o velho motor boxer (quando movido a Etanol) gerava 57 cv de potência a 4200 rpm com 11,8 mkgf de torque a bons 2.600 rpm. A sensação era de mais força do que ele de fato tinha. Seu desempenho era aceitável, fazendo de 0 a 100 km/h em 17,16 segundos (o antigo 1300 fazia em longos 38,97 segundos), e chegava a 132,964 km/h (ante 113,207 km/h do velho 1300). Neste ano ele também ganhou oficialmente o nome de Fusca, pois até então era batizado pela marca como VW Sedan.

Em 1986, a Volkswagen do Brasil causou revolta em seus fãs com o anúncio da descontinuação do carro mais querido de seu tempo, e encerrava a produção do Fusca. Pela primeira vez, uma marca fez campanha publicitária anunciando o fim de um modelo. “Às vezes o avanço tecnológico de uma empresa não está no que ela faz. Mas no que deixa de fazer”, dizia a VW no anúncio daquela que seria a primeira despedida do Fusca

Pela primeira vez, uma fabricante anunciava o fim de um modelo nas campanhas publicitárias (Foto: VW/divulgação)

Para esta despedida, a Volkswagen lançava uma série especial intitulada “Última Série”, com a edição comemorativa de 850 unidades numeradas nas cores metálicas Bege Polar, Cinza Plus ou Azul Stratos.

Sempre pintado em cores metálicas, o Fusca Última Série era um lote de 850 unidades (Foto: reprodução/Brunelli Veículos Antigos)

Baseados na versão Luxo, traziam a gravação nos vidros com o número de série e o total de exemplares daquela safra especial: 001/850, 002/850, 003/850 e por aí vai. O comprador recebia também um chaveiro enumerado, chave reserva dourada, certificado, fita VHS com a história do modelo, manual do proprietário exclusivo e par de placas cinzas com o mesmo número gravado no vidro do veículo.

O kit cheio de itens entregue ao proprietário do Fusca Ultima Série (Foto: André Chun/reprodução AutoEntusiastas)

Do documentário promovido pelo Globo Repórter em 12/11/1986 sobre os 100 anos do automóvel, 4:19 foram dedicados ao Fusca, que deixava de ser produzido no dia 31 de outubro do mesmo ano.

Todavia, mesmo com o anúncio feito em mídias televisivas e revistas sobre a descontinuação do modelo e o cancelamento da distribuição aos revendedores, sabe-se de 5 unidades do saudoso sedan, fabricados como modelo…1987! Vou explicar: resultado de teste de linha de produção, as unidades foram fabricadas em maio de 1986, antes mesmo da decisão da Volkswagen em descontinuar o modelo naquele ano.

Contendo melhorias que seriam incorporadas à linha 87, os modelos tinham retrovisor do lado direito, novos borrachões no para-choque, relógio no painel, vidros verdes e desembaçador traseiro, sendo que alguns destes acessórios eram oferecidos nas versões de luxo dos modelos nos anos anteriores, além de nova cor, como o Vermelho Fênix.

Fusca linha 87: sim, eles existiram! (Foto: José Luiz)

De chassis iniciados com “HP” (letras daquele ano), os 5 Fuscas 87 tiveram marcação de 00001 a 00005, sendo que o 1º ficou na própria VW, 2 foram doados à instituições de caridade e os outros 2 foram destinados a diretores da VWB na época.

Sabe-se que os chassis 00001 Vermelho Fênix ainda está sob posse da VW e compõe o acervo de antigos da marca. Esta cor nunca foi incorporada de fato à linha do Fusca nos anos 80.

O 00002 era Azul Stratos, está atualmente no Sul do país completamente descaracterizado, inclusive em outra tonalidade diferente da sua cor original.

O chassis 00003 era Bege Flash e foi recomprado pela VW no começo dos anos 90 e desmontado, a fim de auxiliar a marca a recompor o ferramental para a produção do Fusca em 1993. Ou seja, não existe mais. O modelo 00004 era Cinza Altas e infelizmente foi roubado ainda quando possuía as placas amarelas, onde nunca mais se soube de seu paradeiro, o que é lastimável dado seu pedigree histórico.

O chassi 000003 foi recomprado pela VW nos anos 90, enquanto o 000004 foi roubado antes mesmo de ganhar placas cinzas. Ambos não existem mais (Foto: acervo pessoal/Leonardo França)

O Fusca 1987/1987 Vermelho Capri das fotos abaixo é o de chassis 00005, e foi adquiro pelo atual proprietário em 1988 diretamente de um dos diretores da VWB. Por ser modelo de estudo, não possui alguns KPO’s originais, e tem algumas etiquetas não encontradas nos modelos de série, além de identificação como carro bloqueado no documento original, por ser assim considerado um protótipo.

Em pleno 2022, possui somente 4.600 km originais registrados no odômetro e a fidelidade de seus proprietários José Luiz e seu filho Junior que afirmam jamais vender o besouro vermelho.

Depois do teste de produção, veio a decisão da marca de encerrar a produção do Fusca em 1986, e então foram produzidos as unidades finais e os modelos da série especial intitulada “Última Série”. Tudo isso já com as tais cinco unidades prontas.

Em 1993, uma pessoa importante iria pedir para voltarem a fazer o Fusca, mas esta já é outra história…

O Fusca ainda voltou em 1993, mas aí já é outra história… (Foto: VW/divulgação)
Compartilhar:
Neto de jornalista, é formado em gestão de pessoas, tem pós em comunicação empresarial e Marketing digital. É criador dos canais Autos Originais e Auto & Autos, digital influencer e atua há 18 anos com consultoria automotiva, auxiliando pessoas a comprar carros em ótimo estado e de maneira racional. Especializou-se na história dos carros nacionais, principalmente nos modelos populares dos anos 80, 90 e 2000. Apaixonado por carros e viagens, rodou mais de 800mil km nas estradas dos países da America Latina. É também colecionador de miniaturas, emblemas automotivos, revistas automotivas e principalmente de histórias.