(Lançamento) Fiat Strada 2024 agora tem motor turbo, design exclusivo e mais conteúdo

Difícil falar em picape sem lembrar da Fiat Strada. Pudera, é um modelo que chega, agora em outubro, aos 25 anos de produção ininterrupta e cerca de 1,8 milhão de unidades fabricadas em Betim (MG). A atual geração, das mais badaladas, inovou com a carroceria de quatro portas, câmbio automático e até faróis em LED, fora a caçamba generosa e o bom e velho feixe de molas na suspensão traseira, item de série do modelo. O sucesso é tanto, que a Strada conseguiu ficar um bom tempo como o automóvel mais vendido do Brasil, voltando ao topo vez ou outra.

Agora na linha 2024, finalmente sua linha ganha o merecido motor 1.0 turboflex (é a primeira Strada superalimentada vendida por aqui), com três cilindros e injeção direta, rendendo 125/130 cv de potência com 20,4 mkgf de torque (gasolina/etanol). O conjunto mecânico é conhecido por estar no crossover Pulse e no SUV coupé Fastback, e, aqui na picape, também trabalha junto da transmissão automática CVT com 7 pseudo-marchas, que podem ser trocadas manualmente na alavanca ou em paddle-shifts atrás do volante.

Com o novo coração turbo, seu desempenho torna-se bastante superior ao das versões 1.3 Firefly (aspirado, com até 107 cv e 13,7 mkgf), tanto que agora a Strada passa a ser uma das picapes mais rápidas do mercado nacional (cerca de 9,5 segundos no 0 a 100 km/h), superando rivais de peso como Chevrolet Montana, Renault Oroch e, dependendo, até sua irmã maior Toro quando o assunto é aceleração. A velocidade máxima fica na casa dos 180 km/h quando abastecida com etanol e cresce proporcionalmente a aceleração, melhorando bastante a sensação de força e torque ao volante.

Foto: Fiat/divulgação

O volante, aliás, é novo na picape, e continua apenas com ajuste de altura: se antes ela usava o componente do subcompacto Mobi, agora passa a ser o mesmo de modelos mais caros da marca, como Pulse e Fastback, permitindo o chamativo botão vermelho do modo Sport de condução dentre suas teclas. Mas, para quem esperava o importante piloto automático, ele continua indisponível para a Strada, assim como outros itens de conforto como chave presencial, sensor de chuva ou acendimento automático dos faróis.

Em contrapartida, a picapinha traz alguns itens interessantes nas versões mais caras, como conjunto óptico dianteiro full LED, carregador de celular sem fio, multimídia com conexões wireless, ar-condicionado automático digital, airbags laterais nas versões com cabine dupla, bancos em couro (há grafia exclusiva nas topo de linha), apoio de braço para o motorista, entre outros. Na linha 2024, o acabamento está mais aprimorado, contando agora com apliques macios nas laterais de porta e volante que pode ser revestido em couro.

Sua gama de versões cresceu, já que agora há a inédita versão Ultra como topo de linha por R$132.990, apostando num lado mais esportivo e arrojado da picapinha. A Ranch, caipira enfeitada, também continua em linha pelo mesmo preço da Ultra, e acima dessas duas chega a edição limitada Edizione 25, comemorando o 25º aniversário da picapinha: com produção numerada de 1.025 unidades, ela tem base na Ultra, mas traz alguns diferenciais internos e externos por R$135.990. O trio, vendido sempre com motor turbo e câmbio CVT, é disparado o mais caro na história da linha Strada.

Além disso, as três recebem um tapa no visual, que diferencia as versões superalimentadas das com motor de aspiração natural. As novidades incluem nova grade, parachoque remodelado, novas luzes de neblina em LED, um aplique escurecido que engloba quase toda a frente (dependendo da versão), além de emblemas especiais e rodas inéditas aro 16 (quase toda a linha ganhou novos jogos, aliás). A Ultra é complementada ainda com frisos e detalhes discretos pintados de vermelho.

As demais versões são conhecidas, mas, como novidade, sai de cena o antigo motor 1.4 Fire que movia as mais baratas, mantendo as cinco marchas quando a transmissão for manual. Agora, quem não é turbo usa o 1.3 Firefly: Endurance 1.3 manual (R$100.990), Freedom 1.3 manual (R$106.990), Freedom Cabine Dupla 1.3 manual (R$112.990), Volcano Cabine Dupla 1.3 manual (R$114.990) e Volcano Cabine Dupla 1.3 CVT (R$120.990). Curiosamente, a Volcano é a única que ainda traz as mesmas rodas desde 2020.

A praticidade da picapinha ainda impera, com caçamba de ótimo espaço mesmo nas versões com cabine dupla (844 litros, ou mais de 1.350 nas cabine simples), generosa capacidade de carga (640 kg nas cabine dupla, inclusive turboflex, e até 720 kg nas cabine simples 1.3), e, em todas as versões, a Strada pode rebocar até 400 kg. Fora isso, existem até 10 ganhos para fixação da carga no compartimento traseiro, luz dedicada para a caçamba e acessórios diversos para o espaço.

Foto: Fiat/divulgação

Sua carroceria altinha também se privilegia do bom vão livre do solo (até 21,5 cm dependendo da versão), e parachoques angulados, que melhoram os ângulos de ataque e saída. A novidade passa a chegar em breve à rede de concessionárias Fiat, sempre com 3 anos de garantia sem limite de quilometragem.

Compartilhar:
Com 21 anos, está envolvido com o meio automotivo desde que se conhece por gente através do pai, Douglas Mendonça. Trabalha oficialmente com carros desde os 17 anos, tendo começado em 2019, mas bem antes disso já ajudava o pai com matérias e outros trabalhos envolvendo carros, veículos, motores, mecânica e por aí vai. No Carros&Garagem produz as avaliações, notícias, coberturas de lançamentos, novidades, segredos e outros, além de produzir fotos, manter a estética, cuidar da diagramação e ilustração de todo o conteúdo do site.