(Lançamento) Ford Ranger “pra trabalho” chega em duas versões, e tem até motor V6

Um dos maiores lançamentos de picapes dos últimos tempos foi a da terceira geração da Ford Ranger: feita sobre a base T6, mesma da anterior mas com inúmeras modificações, a nova caminhonete chassi sob carroceria evoluiu em praticamente tudo, desde porte até capacidade de carga, tecnologia e robustez. Mas, de início, foram disponibilizadas só as versões mais caras XLT e Platinum, ambas com motor V6 turbodiesel 3.0 e transmissão automática de 10 velocidades compartilhada com sua irmã maior F-150.

Faltava chegar para venda as versões de entrada, aquelas mais simplórias e feitas para, geralmente, trabalharem. Mas a espera acabou: nessa semana, são lançadas oficialmente a Ranger XL (4×4) e a Ranger XLS (4×2 ou 4×4), duas versões mais em conta da picape turbodiesel. Com relação a geração anterior, algumas coisas mudam: não existe mais a carroceria de cabine simples, substituída pela cabine dupla em toda a linha, e, agora, existe opção da motorização mais potente para as configurações de entrada.

A versão XL, mais barata, traz simplicidades como as rodas de ferro aro 16, parachoques e maçanetas sem pintura, ausência de estribos e santantônio e por aí vai. Ela é movida sempre pelo motor Panther EcoBlue 2.0 16v turbodiesel, um quatro cilindros moderno já oferecido na Transit, mas recalibrado para gerar 170 cv de potência e 41,3 mkgf de torque. O novo motor é acoplado a uma transmissão manual de 6 marchas (Getrag MT88, uma evolução da MT82 da linha anterior) e, de série, a caminhonete traz tração 4×4 com reduzida.

Tabelada em R$240 mil, ela é enxuta no visual e luxos da carroceria, mas traz itens de série interessantes, como os 7 airbags, multimídia de 10” (mesma das versões mais caras), conexões sem fio com smartphone, painel de instrumentos digital de 8”, sensor crepuscular, faróis com ajuste elétrico de altura, piloto automático, limitador de velocidade, volante ajustável em altura e profundidade, controle automático de descidas (HDC), alternador de 250 Amperes, além do trivial ar-condicionado, direção elétrica, vidros e retrovisores elétricos, ESP, conexão com app FordPass, luz diurna nos faróis e mais.

Foto: Ford/divulgação

Já a XLS oferece quase que uma linha própria, em três diferentes configurações. A mais em conta é a 4×2 2.0 turbodiesel, com o mesmo motor da XL, mas sempre automática de seis marchas (caixa 6R80, projeto Ford), custando R$235 mil. Apesar de ter preço inferior ao da XL 4×4, a XLS 4×2 traz parachoques e maçanetas na cor da carroceria, faróis full-LED, luzes de neblina, sensores de estacionamento traseiros, câmera de ré, rodas aro 17, saídas de ar-condicionado traseiras, carregador de celular sem fio, partida remota do motor, 6 alto-falantes e outros mimos.

Foto: Ford/divulgação

A XLS 4×4 2.0 turbodiesel já salta para R$260 mil (R$25 mil a mais que a 4×2), e, nos itens de série, ganha apenas pneus ATR (uso misto). Curiosamente, passa a existir uma XLS V6, opção inédita de versão mais simples com motorização topo de linha: posicionada entre a XLS 4×4 e a XLT V6, ela sai por R$280 mil e é movida pelo 3.0 V6 turbodiesel de 250 cv e 61,2 mkgf, junto da caixa automática de 10 velocidades com seletor tipo joystick e tração 4WD, integral sob demanda que pode atuar de forma automática dependendo do piso e situação de rodagem. É dela o título de picape mais forte do segmento.

Foto: Ford/divulgação

Tanto na XL 4×4 quanto nas três variações da XLS, a Ranger 2024 conta com uma carroceria com rigidez torcional até 30% maior que a da geração anterior, além da bitola e entre-eixos maiores que os das principais concorrentes. A caçamba da nova picape, com 1.250 litros, já traz funcionalidades como uma régua embutida, seis pontos de amarração de carga, tomada 12V e assistente de abertura/fechamento da tampa. Na geração atual, são destaques ainda os 80 cm de capacidade de imersão, bons ângulos de ataque e saída, e por aí vai.

Compartilhar:
Com 21 anos, está envolvido com o meio automotivo desde que se conhece por gente através do pai, Douglas Mendonça. Trabalha oficialmente com carros desde os 17 anos, tendo começado em 2019, mas bem antes disso já ajudava o pai com matérias e outros trabalhos envolvendo carros, veículos, motores, mecânica e por aí vai. No Carros&Garagem produz as avaliações, notícias, coberturas de lançamentos, novidades, segredos e outros, além de produzir fotos, manter a estética, cuidar da diagramação e ilustração de todo o conteúdo do site.