Carros flex: veja 10 mentiras e verdades que vão te ajudar a cuidar deles

Os carros flex, uma tecnologia automotiva que permite que os motores utilizem gasolina ou álcool (ou a mistura de ambos), começaram a ser comercializados em nosso mercado em 2003, há exatos 15 anos, quando a Volkswagen passou a oferecer o Gol 1.6 Totalflex. Desde então, o mercado tem criado lendas, mitos, lorotas e conversas fiadas sobre como os donos de carros com essa tecnologia deveriam cuidar deles. Hoje, cerca de 90% dos carros comercializados com motores do ciclo Otto dispõe de motorização flex. Por isso, vamos listar algumas verdades e mentiras sobre motorização flexfuel.

1) Carro vicia se usar um combustível por muito tempo – MENTIRA

Os especialistas de final de semana dizem que motores flex viciam se for utilizado sempre o mesmo combustível. Tremenda mentira, pois motor não é gente para se viciar em alguma coisa: o sistema eletrônico da injeção sempre sabe o que tem no tanque e, assim, regula automaticamente o ponto de ignição e a quantidade de combustível que deve ser injetada.

2) Não se deve misturar etanol com gasolina – MENTIRA

Lembramos que os motores flex foram estudados pelos engenheiros para utilizar etanol e gasolina como combustíveis, mas a mistura de ambos (independente da proporção), pode ser lida pelos sensores do sistema eletrônico de injeção e ignição. E o carro em movimento faz com que o combustível do tanque se agite constantemente, fato que garante uma mistura homogênea de etanol e gasolina.

3) Intervalo das trocas de óleo é maior se usar etanol – MENTIRA

Na realidade, sempre prevalece a máxima que recomenda que se verifique sempre no manual do proprietário o lubrificante adequado e o momento da troca, independente do combustível utilizado.

4) Motores flex exigem um óleo lubrificante exclusivo – MENTIRA

A classificação de lubrificantes é feita pela API (American Petroleum Institute), que não diferencia motores movidos a gasolina e etanol. Portanto, o lubrificante que atenda as necessidades de um motor a gasolina é o mesmo que atende um propulsor a etanol. Então, os motores flex utilizam o mesmo óleo lubrificante dos motores monocombustíveis (que só utilizam um tipo de combustível).

5) Peças de motores a gasolina servem nos flex – MENTIRA

Alguns componentes do sistema de alimentação a gasolina, como bomba de combustível, filtros e até injetores, são concebidos para suportar determinado grau de acidez e depósitos carbônicos. Mas, nos motores que funcionam com etanol, as exigências são muito maiores, principalmente no quesito acidez. Portanto, os componentes do sistema de alimentação dos motores flex não podem ser substituídos por outros de motores a gasolina (que em contato com etanol teriam vida muito mais curta).

6) No inverno, colocar 10% de gasolina no tanque com etanol ajuda na partida – VERDADE

Como a gasolina do tanquinho de partida a frio se deteriora depois de aproximadamente 3 meses, é recomendável colocar cerca de 10% de gasolina na hora de abastecer com etanol (ou até mais, dependendo do frio). Assim, as partidas no inverno serão mais rápidas e aquelas engasgadas dos primeiros arranques desaparecerão.

7) Gasolina rende mais quilômetros que o etanol – VERDADE

O poder calorífico da gasolina é superior ao do etanol, e a proporção de mistura dos dois combustíveis é maior. Portanto, o rendimento em km/litro é superior nos flex quando se utiliza gasolina. Vale lembrar que a contrapartida é o valor mais alto da gasolina, e em algumas regiões do país pode-se ver rapidamente qual combustível compensa mais na hora de abastecer.

8) O desempenho melhora ao usar etanol – VERDADE

Apesar do menor poder calorífico, o etanol possui outras qualidades que o diferem da gasolina, e esses são positivos para a melhora da performance do motor. Assim, de uma maneira geral, a utilização do etanol aumenta a potência e o torque, melhorando o desempenho como um todo.

9) Etanol é mais sustentável ecologicamente que a gasolina – VERDADE

A gasolina é oriunda do refino do petróleo, normalmente retirado de depósitos finitos das entranhas do planeta. Por sua vez, o etanol é renovável, e, aqui no Brasil, se origina da cana-de-açúcar. Assim, há um equilíbrio entre o CO e CO² emitidos pelo escapamento e os gases consumidos pelas plantações de cana que vão gerar o álcool. Sendo um ciclo virtuoso bom para o planeta e para a humanidade, o etanol pode ser considerado um combustível sustentável ecologicamente.

10) Motores flex tem vida útil igual à de propulsores a gasolina –VERDADE

Os motores flex utilizam uma taxa de compressão mais alta, e isso poderia induzir a alguns que sua vida útil é inferior. Na verdade, apesar de mais comprimidos, os motores flex tem um dimensionamento de pistões, bielas, bronzinas e lubrificação adequados ao seu maior desempenho e maiores temperaturas geradas nas câmaras de combustão. Por isso, os flex mostram uma vida útil semelhante a de seus similares movidos a gasolina.

Compartilhar:
Douglas Mendonça
Jornalista na área automobilística há 45 anos, trabalhou na revista Quatro Rodas por 10 anos e na Revista Motor Show por 24 anos, de onde foi diretor de redação de 2007 até 2016. Formado em comunicação na Faculdade Cásper Líbero, estudou três anos de engenharia mecânica na Faculdade de Engenharia Industrial (FEI) e no Instituto de Ensino de Engenharia Paulista (IEEP). Como piloto, venceu a Mil Milhas Brasileiras em 1983 e os Mil Quilômetros de Brasília em 2004, além de ter participado em competições de várias categorias do automobilismo brasileiro. Tem 64 anos, é casado e tem três filhos homens, de 17, 28 e 31 anos.
Ainda não há comentários! Seja o primeiro a comentar.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *