(Avaliação) Caoa-Chery Arrizo 6 PRO Hybrid é muito bom…e injustiçado

A Caoa-Chery até tentou manter, mas acabou tirando o Arrizo 6 PRO de linha, aquele movido só gasolina, sem eletrificação. Durou pouco por aqui, uma pena. No lugar ficou o Arrizo 6 PRO Hybrid, mesmíssimo carro, mas, na verdade, semi-híbrido. As diferenças, além da mecânica, ficam pelos emblemas, diagrama do funcionamento do sistema híbrido no painel digital, alguns litros a menos de porta-malas (ocupados pelas baterias, mas ainda são 405 litros) e basicamente só. Ah, e claro, o híbrido ainda é chinês, e não brasileiro como seu antecessor.

Apesar de se declarar híbrido, o Arrizo 6 PRO Hybrid é, na verdade, semi-híbrido (Foto: Lucca Mendonça)

Não tem muito o que mudar, já que esse sedan médio, “ladrão” de mercado do queridinho Toyota Corolla Hybrid, é muito bom. Longe da perfeição, mas surpreendente. Tem alguns pontos fortes: suavidade, silêncio, requinte e espaço, todos levados a sério pela engenharia não só da Chery chinesa, mas também pela Caoa brasileira, que dá bons pitacos sobre os nossos gostos e usos. E o melhor é que hoje ele custa interessantes R$160 mil. Mas quantos Arrizo 6 PRO Hybrid você vê nas ruas diariamente? Pois é…

Talvez seja mais um daqueles injustiçados, que não recebem tanta atenção da marca e, geralmente, do consumidor. Lembrando que ele, além do subcompacto iCar, são os únicos carros fora do segmento de SUVs que a Caoa-Chery vende hoje. No meio de tantos Tiggo, está esse Arrizo, que dificilmente passa batido, sem receber elogios pelo design modernizado recentemente. Isso sem falar na cabine que transpira requinte e luxo: todo mundo que viu o carro, adorou. E realmente ele é muito bem montado com materiais de primeira.

Interior é moderno e bem requintado: todo mundo que viu e andou, gostou (Foto: Lucca Mendonça)

Na versão híbrida, foi mantido o 1.5 16v turboflex, com injeção direta, ganhando reforço do sistema híbrido leve de 48V durante o uso, assim como a Audi fez com o A3. A mudança foi mais para atender as novas leis de emissão do Proconve, ainda que deu um extra de força: agora são 157/160 cv (+10 cv) de potência e 25,5 mkgf de torque no total (+4 mkgf). Fechando com chave de ouro, o eficiente câmbio CVT com nove marchas simuladas patina pouco, permite trocas manuais (pela alavanca, mas podia ter paddle-shifts), é progressivo e bem silencioso.

Não é aquele de dupla embreagem oferecido em outros Caoa-Chery, porém entrega outras virtudes, como suavidade e rapidez nas reduções quando precisa, mas sem deixar de lado o conforto típico dos CVTs. Não existe demora nem preguiça na hora de acelerar, principalmente quando o modo Sport é ativado (só existe ele ou o ECO), e o carro logo ganha velocidade. O bom 0 a 100 km/h comprova: é feito em 9 segundos. O ronco do 1.5? Agudo, e só ouvido nas altas rotações. Quem não conhece pode achar que esse Arrizo é um híbrido que está sempre no modo elétrico.

O silêncio impera e é uma das maiores virtudes do Arrizo 6 (Foto: Lucca Mendonça)

O consumo podia e devia ser melhor, já que conseguiu cravar 15,5 km/l na estrada e chegou em 12 km/l na cidade com gasolina, como o carro foi entregue para o teste. A média geral nos 670 km percorridos entre ciclo urbano e rodoviário foi de 13,8 km/l, nada surpreendente para um carro baixo (pouco arrasto aerodinâmico), sempre com modo ECO ativado e sem exigir muito do pedal do acelerador. É, talvez, o principal defeito desse Caoa-Chery, nada ajudado pelo tanque de 47 litros.

Híbrido, mas gosta mesmo de gasolina e etanol (Foto: Lucca Mendonça)

O 6 PRO Hybrid é feito sobre a plataforma M1X, já com alguns anos de estrada. É uma base modular que cai muito bem, permitindo o excelente entre-eixos de 2,65 m e refletindo no espaço interno para cinco pessoas sem apertos. Por maior que seja o adulto sentado atrás, é fácil se acomodar, inclusive no meio: o ressalto do túnel central é bem baixo e o banco, cômodo. E tudo aquilo que se espera está lá, como luzes em LED, saídas de ar-condicionado, USB, porta-trecos e apoio de braço. Espaço pode ser problema nos sedans, mas aqui não.

Por outro lado, haja saia de parachoques, que sempre raspam, e curso de suspensões para nosso piso. O Arrizo ainda pena um pouco nisso, mesmo com conjunto bem regulado e pneus de perfil alto calçando rodas 17”. Na verdade cumpre o que promete, quer seja estancando imperfeições do piso (coisa que é feita com maestria) ou garantindo estabilidade elogiável ao carro, mas pancadas secas e outros ruídos são comuns principalmente na dianteira, onde o peso é maior. Ainda bem que não economizaram nas mantas acústicas: silêncio prevalece.

O carro é baixo, com grandes balanços dianteiro/traseiro (Foto: Lucca Mendonça)

Enquanto isso, o tal sistema semi-híbrido não é daqueles que faz o carro rodar só com eletricidade ou promete altíssima eficiência energética. Na verdade trata-se da soma do motor de arranque ao alternador (BSG), como uma espécie de propulsor elétrico que trabalha junto com o 1.5 turboflex, aliviando sua carga durante a condução. Existem baterias que armazenam alguma energia, e elas estão logo depois do encosto traseiro. Quem vai atrás ouve apenas um pequeno ruído do sistema operando, que lembra um ventilador ligado e não atrapalha. Parte da energia de frenagens e desacelerações também vai para as baterias, como deve ser.

Energia de desacelerações e frenagens é enviada para as baterias. Detalhe para o parachoques baixo (Foto: Lucca Mendonça)

Toda a operação pode ser monitorada pelo diagrama dos instrumentos: se a carga está indo para o motor, se as baterias estão recarregando, se o sistema está “neutro” e por aí vai. Aliás um belo painel de instrumentos, bem superior à dos já testados Tiggo 5X PRO e Tiggo 8, com leitura fácil, descomplicado para mexer e, sim, permitindo zerar o computador de bordo com o carro em movimento. Finalmente!

O carro é fácil de ler, entender, mexer e se acomodar (Foto: Lucca Mendonça)

Aliás o Arrizo 6 PRO Hybrid não abre espaço pra críticas nesse sentido, já que tudo é fácil de mexer, sem segredos, inclusive na multimídia de 10,2”. O motorista é outro que não pode reclamar com banco de ajustes elétricos, volante regulável em altura e profundidade e bom campo de visão. Pequeno ou grande, é fácil se acomodar no carro. E boa parte do esperado está nele, como 6 airbags, câmera 360º, freio de mão eletromecânico, função Auto Hold, retrovisor fotocrômico, iluminação ambiente em LED, carregador de celular sem fio, teto-solar, start&stop, alerta de tráfego cruzado traseiro, monitor de ponto-cego e outros. Só o ar-condicionado digital, fraco e sem modo automático, pisa na bola.

Por que não?

Se preconceito for o motivo do público torcer o nariz para o Arrizo 6 PRO Hybrid, é um erro enorme. Ele definitivamente não tem nada, nada mesmo, a ver com aqueles antigos Chery da década passada. E assim, híbrido requintado e cheio de tecnologias, ele convence também pelo preço. A concorrência, Toyota Corolla Hybrid, custa bem mais caro, a partir de R$182 mil, deixando esse Caoa-Chery na faixa de preço dos (poucos) sedans médios a combustão.

Ficha técnica:

Concepção de motor: 1.499 cm³, flex, quatro cilindros, 16 válvulas (quatro por cilindro), turbo, injeção direta de combustível, duplo comando de válvulas, variador de fase na admissão, bloco e cabeçote em alumínio. Auxílio via sistema híbrido leve de 48V

Transmissão: automática tipo CVT com simulação de nove marchas e opção de trocas manuais na alavanca

Potência: 157/160 cv a 5.500 rpm (gasolina/etanol)

Torque: 25,5 mkgf a 1.800 rpm (gasolina/etanol)

Suspensão dianteira: independente, McPherson, com barra estabilizadora

Suspensão traseira: eixo de torção com molas helicoidais

Direção: com assistência elétrica progressiva

Freios: discos ventilados na dianteira e discos sólidos na traseira

Pneus e rodas: Giti Comfort 228, medidas 205/50 e rodas de liga-leve aro 17

Dimensões (comprimento/largura/altura/entre-eixos): 4,64 m/1,81 m/1,49 m/2,65 m

Porta-malas: 405 litros

Tanque de combustível: 47 litros

Peso em ordem de marcha: 1.378 kg

Aceleração 0 a 100 km/h: 9,0 segundos (etanol)

Velocidade máxima: 190 km/h (limitada eletronicamente)

Preço básico: R$159.990

Itens de série:

Abertura e fechamento das portas e porta-malas à distância (Keyless), Ar condicionado eletrônico, Banco do motorista com 6 ajustes elétricos, Banco traseiro com apoio de braço central, Botão Start/Stop para partida sem chave, Câmera de ré com guias dinâmicas de direção, Câmeras de visão 360° HD, Carregador de celular por indução, multimídia touch screen de 10,25″, Android Auto, Apple Car Play e bluetooth, Coluna de direção regulável altura/profundidade, Partida remota do motor, Comandos de Voz, Entradas USB 2 no console central / 1 na parte traseira, Faróis com acendimento automático, Faróis com ajuste elétrico de altura e função “follow me home”/“car finder”, Luz ambiente com opções de cores (portas dianteiras), Luz de leitura individual na segunda fileira de bancos, Modo de condução – SPORT/ECO, Painel de instrumentos 10,25″ LCD, Piloto Automático, Rebatimento elétrico dos retrovisores, Retrovisor interno eletrocrômico, Retrovisores externos com aquecimento (antiembaçante) e controle interno elétrico, Saída ar condicionado para os bancos traseiros, Sensor de estacionamento traseiro, Sistema de som com 6 alto-falantes e modo Arkamys, Sistema Start/Stop, Teto solar elétrico, Alavanca de câmbio automático “Joystick”, Bancos com revestimento premium na cor preta, Faróis e lanternas em LED, Lanterna traseira de neblina, Lanternas traseiras com luz dinâmica de seta, 6 airbags (frontal duplo, lateral duplo e de cortina duplo), Alarme antifurto (periférico) com acionamento pela chave, Alerta de tráfego cruzado traseiro (RCTA), Assistente de Aclives (HAC), Controle Eletrônico de Estabilidade (ESC), Freio de estacionamento com acionamento eletrônico (EPB) e Função AUTO-HOLD, Monitoramento de ponto cego (BSD), Sistema de Controle de Tração (TCS), Sistema de monitoramento de pressão nos pneus (TPMS)

Compartilhar:
Com 21 anos, está envolvido com o meio automotivo desde que se conhece por gente através do pai, Douglas Mendonça. Trabalha oficialmente com carros desde os 17 anos, tendo começado em 2019, mas bem antes disso já ajudava o pai com matérias e outros trabalhos envolvendo carros, veículos, motores, mecânica e por aí vai. No Carros&Garagem produz as avaliações, notícias, coberturas de lançamentos, novidades, segredos e outros, além de produzir fotos, manter a estética, cuidar da diagramação e ilustração de todo o conteúdo do site.