Luzes de neblina (ou fog-lamps): Se não precisa usar, não use!

Hoje eu não vim aqui para falar dos meus carros, dos modelos que eu comprei ao longo da minha jornada, mas de um outro assunto importante. E dessa vez é para dar um toque. Mais especificamente sobre um mau hábito, que está se tornando cada vez mais comum, infelizmente: o uso de luzes de neblina traseiras na cidade, sem neblina. Muita gente acha bonito deixar a traseira toda do carro iluminada e usa os faróis de neblina dianteiros com as luzes de neblina traseiras acesas em conjunto. Há modelos que possuem apenas essas luzes traseiras, que de qualquer forma são os chamados “fog-lamp”.

O perfil @apagaoneblina, no Instagram, divulga exatamente essa prática nada legal e perigosa dos motoristas (Foto: reprodução/Instagram)

Seria apenas um hábito ruim se não fosse também muito perigoso e ilegal. Perigoso porque a lâmpada de neblina traseira tem 21 Watts, ou seja, a mesma potência de uma lâmpada de freio. Dessa forma, ela ofusca quem vem atrás e ainda pode atenuar indevidamente a luz de freio, causando confusão no motorista que vem atrás, que tem mais dificuldade de perceber a verdadeira luz de freio acendendo no trânsito.

Além disso, também é ilegal pois fere pelo menos um dispositivo estabelecido no Código Brasileiro de Trânsito (CBT), a resolução 227. Ela fala que as luzes de neblina só podem ser ligadas em condições adversas de visibilidade. Poderia ser citada também a 223, mas como ela fala que transitar com os faróis desregulados ou com facho de luz alta que ofusque outro motorista é passível de multa, fica claro que são  faróis e não lanternas.

Luz de neblina só deve ser usada em dias de neblina (Foto: Reprodução/Auto Service World)

Mas existe uma lei que não deve ser desrespeitada nunca, em hipótese nenhuma: a lei do bom senso. Essa deve prevalecer sempre. Usar um artifício que está totalmente voltado para a segurança de forma indevida e que prejudica os outros é um contrassenso sem tamanho. Muita gente pode alegar desconhecer que essas lâmpadas não devem ser acesas sem que haja neblina, acionando inadvertidamente o interruptor, muito embora esses controles sejam claramente explicados em qualquer manual do proprietário. Ok, faltou ler. Então já fique sabendo que isso não é bom.

O tal interruptor da luz de neblina deve ser assim. Está ativado no seu carro? Então desligue se não precisar! (Foto: VW/divulgação)

O problema é com aqueles que sabem que a luz fica acesa e que é forte. Esses sabem que estão trafegando com a essa luz intensa demais na traseira e na verdade não estão nem aí com isso, ou então simplesmente gostam de tê-la acesa só por vontade mesmo. Independente do motivo, vamos ter educação e respeito e não fazer uma coisa dessas. O bom senso agradece!

Compartilhar:
Alexandre Ule Ramos é jornalista há 33 anos, formado na Cásper Libero, de São Paulo, e também em Publicidade e Propaganda pela Metodista, de São Bernardo do Campo. Durante muitos anos foi responsável pelo setor de usados do Guia Melhor Compra da revista Quatro Rodas, trabalhou na revista Oficina Mecânica e Hot, teve passagens pela revista Carro, Brasil Transportes, Fúria, Superauto, produziu conteúdo para o Webmotors, Auto+, Feira Livre do Automóvel etc. Tem enorme conhecimento no mercado de carros usados, trabalhando há mais de 22 anos com compra, venda e consultoria de veículos. Já adquiriu mais de 1.000 carros durante essas mais de duas décadas, e, até hoje, permanece ativo na sua função.