Ford Maverick Hybrid faz quase 18 km/l e chegará ao Brasil em 2023

Iniciando o chamado “processo de descarbonização da América do Sul” nos próximos anos, a Ford garantiu boas novidades eletrificadas não só para o mercado nacional, mas também países vizinhos, em 2023. Além do elétrico Mustang Mach-E, virão a E-Transit, 100% elétrica, e também a tão esperada Maverick Hybrid, oferecida no mercado norte-americano desde o lançamento do modelo.

Foto: Ford/divulgação

A picape de motorização mista, inclusive, será a primeira a chegar: ainda no início de 2023, segundo a Ford. Além disso, conviverá com a atual versão disponível, que oferece motor 2.0 turbo a gasolina. Com o título de “primeira picape híbrida do Brasil”, a Maverick Hybrid, muito provavelmente, custará menos que os R$237 mil da Lariat FX4 vendida hoje. Nos EUA, as configurações híbridas são as mais baratas da picape, enquanto as 2.0 turbo ficam no topo da gama. Essa estratégia não deverá ser muito diferente por aqui.

Foto: Ford/divulgação

No conjunto propulsor está um 2.5 16V de aspiração natural, movido a gasolina e com quatro cilindros, que tem como diferencial o funcionamento no ciclo Atkinson. Ele, sozinho, fornece 164 cv de potência com 21,4 mkgf de torque, e está acoplado a um motor elétrico dianteiro de outros 127 cv e 24 mkgf de torque. A transmissão não é a mesma AT8 dos carros 2.0 turbo, mas sim uma automática tipo CVT chamada de eCVT PowerSplit. As Maverick Hybrid têm tração dianteira.

Foto: Ford/divulgação

No conjunto, somando motor a combustão mais elétrico, são 194 cv de potência despejada nas rodas dianteiras. A Maverick e o conjunto de motores são produzidos no México, enquanto a transmissão e outras partes mecânicas são feitas nos EUA. Seu conjunto de baterias está instalado no assoalho, e possui regeneração de energia em frenagens e desacelerações. A recarga via tomadas (plug-in) não está disponível.

O que chama a atenção são os números de consumo oficiais da Maverick Hybrid, bastante superiores aos da 2.0 turbo. Na cidade, onde existe maior aproveitamento de energia em um híbrido, ela consegue 17,8 km/l de média, enquanto na estrada os números passam dos 14 km/l. Para se ter uma ideia, a Lariat FX4 conseguiu 8,8 km/l e 11,1 km/l, respectivamente, pelas aferições do INMETRO no Brasil. Em compensação, o tanque de combustível das Hybrid é menor, com 52 litros.

Foto: Ford/divulgação

Apesar desse ser o conjunto mecânico oferecido nos EUA nas Maverick XL e XLT, aqui no Brasil ele não deverá sofrer grandes alterações, afinal o carro vendido por aqui sairá da mesma fábrica mexicana. As versões ou equipamentos para o mercado nacional ainda não foram divulgados, mas existem grandes possibilidades de criarem um pacote de equipamentos exclusivo para o Brasil, assim como fizeram com a Lariat FX4.

Foto: Ford/divulgação

Mas a Ford ainda aproveitou a toada de eletrificação para confirmar a vinda de outros dois eletrificados: Mustang Mach-E e E-Transit, que virão depois da Maverick Hybrid. O primeiro, uma versão SUV e 100% elétrica do icônico esportivo, tem potências que variam de 259 a 465 cv com torque entre 42,3 e 84,6 mkgf, dependendo da versão. Seguindo a estratégia do Mustang fastback atual, é bastante provável que chegue ao Brasil a configuração mais potente e completa.

Mustang Mach-E e Mustang fastback (Foto: Ford/divulgação)

Com conjuntos de baterias sempre acima dos 75 kWh (podem chegar a quase 100 na versão mais poderosa), o Mach-E pode ter alcance de até 482 km de acordo com o EPA – agência de proteção ambiental norte-americana. O modelo pode ter tração traseira ou integral, dependendo do nível de acabamento e configuração, enquanto a recarga das baterias de íon-lítio é feita por regeneração em frenagens, tomadas de eletropostos, wallbox ou residenciais de 220V.

Foto: Ford/divulgação

Quem também virá em 2023 é a E-Transit. O modelo já é oferecido em diversos mercados mundo afora, e tem vários tipos de carroceria com diferentes tamanhos (furgão, minibus ou chassi), contando com um motor elétrico dianteiro que produz cerca de 270 cv de potência. Suas baterias estão instaladas no assoalho e tem 68 kWh de capacidade, garantindo alcance superior a 200 km. Por aqui ainda não foram divulgados maiores detalhes de qual versão ou configuração de carroceria será oferecida.

Foto: Ford/divulgação
Compartilhar:
Com 21 anos, está envolvido com o meio automotivo desde que se conhece por gente através do pai, Douglas Mendonça. Trabalha oficialmente com carros desde os 17 anos, tendo começado em 2019, mas bem antes disso já ajudava o pai com matérias e outros trabalhos envolvendo carros, veículos, motores, mecânica e por aí vai. No Carros&Garagem produz as avaliações, notícias, coberturas de lançamentos, novidades, segredos e outros, além de produzir fotos, manter a estética, cuidar da diagramação e ilustração de todo o conteúdo do site.