(Avaliação) Novo Honda HR-V Touring conquista pelo conjunto mecânico e mira nos SUVs médios

Agora bebendo também etanol, o motor 1.5 turbo da Honda é um dos principais atrativos do HR-V Touring, versão topo de linha tabelada hoje em R$191 mil. Sim, é um SUV compacto quase com preço de médio, e o mais caro da sua categoria, mas é tudo uma questão de estratégia: como por enquanto a fabricante japonesa não tem um SUV médio (em breve chega o ZR-V), trabalha com o que tem, ou seja, HR-V.

Não que ele deixe a desejar, pelo contrário, é um dos melhores SUVs compactos do mercado nacional. Esse HR-V, seja aspirado ou turbo, mostra ótima dirigibilidade, com a precisão típica de um carro japonês na direção, suspensão e freios, um nível de acabamento interessante, silêncio a bordo e espaço interno, esse sim, de SUV médio. Tirando o limitado porta-malas de 373 litros, claro.

Com a mecânica mais poderosa e voltada ao desempenho, restou a engenharia endurecer um pouco suas molas e amortecedores: ele não é tão confortável quanto um HR-V EXL 1.5 aspirado, por exemplo, mas ainda fica dentro do esperado pra um utilitário da Honda, que tem tradição nos carros mais durinhos. Falando em dinâmica da carroceria, comportamento geral e estabilidade na condução, é um prato cheio.

A versão Touring já vem da antiga geração, com proposta de ter um carro mais refinado, completo e caro. Só que antes seu motor, compacto 1.5 16v turbo com injeção direta, duplo comando variável e fundição completa em alumínio, só podia ser abastecido com gasolina. Agora finalmente virou flex, com interessantes 177 cv e 24,5 mkgf (gasolina ou etanol).

Lembrando que a força máxima surge a apenas 1.750 rpm, sem demora alguma, e a transmissão é a mesma CVT de sete marchas das versões naturalmente aspiradas, que aqui trabalha um pouco mais esperta e ágil no comportamento. Em resumo, é um carro sólido e com ótimo desempenho em acelerações ou retomadas. Os dados oficiais da Honda, como 0 a 100 km/h em menos de 9 segundos, são bem fiéis a realidade. Somente nos HR-V turbo há o Drive Mode (ECO, Normal e Sport), além de escapamento com ponteira dupla.

Escape de ponteira dupla só nas versões turbo (Foto: Lucca Mendonça)

No modo Sport vem o melhor desempenho, o Normal entrega algo mais equilibrado, enquanto o Eco foca no consumo, e nem tanto desempenho. Faz toda a diferença: em nossos testes, abastecido com gasolina, o SUV conseguiu 16,3 km/l na estrada e 12,8 km/l na cidade. Números que baixaram pra 12,9 e 10,5 km/l com etanol, respectivamente. Rápido e econômico.

Na prática, rápido e econômico (Foto: Lucca Mendonça)

O trunfo desse Honda está mesmo no espaço interno, sem dúvidas liderando também nesse ponto. Há um enorme espaço para quem vai atrás, e ali se acomodam três sem grandes problemas (bom arranjo interno, já que os 2,61 m de entre-eixos são razoáveis). Com saídas de ar-condicionado, portas USB e um porta-trecos, tudo no fim do curto console central, não há o que reclamar das mordomias a bordo. Quem vai na frente se acomoda bem num par de bancos que parecem os do CR-V. O teto é alto e assoalho plano para a alegria de todos.

Exclusivamente nessa Touring, assim como antes, há bancos, laterais de portas e apliques no painel em couro creme claro. Bonito conjunto, que o diferencia das outras versões. Mas num carro desse nível e preço, falta teto-solar. Ou melhor, um teto-solar panorâmico, coisa que existia na antiga geração, porém foi abolido nesse novo carro. Deixaria o ambiente mais iluminado e ventilado. Vai entender…

Teto-solar ficou de fora: vai entender… (Foto: Lucca Mendonça)

Farto é o conteúdo, com muita coisa que nem SUVs médios mais caros oferecem. Começa pelo pacote de tecnologias, com tudo que tem direito (desde ACC, faróis full-LED com função automática, até alerta de tráfego cruzado traseiro e assistente ativo de manutenção em faixa), ar-condicionado digital automático dual zone, tampa do porta-malas com abertura elétrica presencial, painel de instrumentos digital, conexão com app MyHonda Connect, banco do motorista com ajustes elétricos, carregador de celular por indução e por aí vai.

Negócios

Muito bom, mas bem caro. Esse é um resumo quase perfeito para esse novo HR-V Touring. Apesar de mirar de várias formas nos SUVs médios (Jeep Compass, Toyota Corolla Cross e VW Taos, principalmente), no fundo ele continua sendo um compacto nacional feito na mesma base de um hatch pequeno, no caso o City. Mecânica, dirigibilidade, espaço interno e conteúdo não faltam, mas a essência sim.

Muito bom e bem caro, mas o público da Honda é fiel (Foto: Lucca Mendonça)

Mas a Honda, com seu público cativo, sempre trabalhou com a linha de um produto de qualidade comprovada e robusto, mesmo que ele seja mais salgado no preço. Em resumo, compradores ele tem. Ainda assim, vale falar que há a versão Advance turbo por R$8 mil a menos ou, caso desempenho não seja prioridade, a interessante EXL aspirada, de R$157 mil.

Ficha técnica:

Concepção de motor: 1.498cm³, flex, quatro cilindros, 16 válvulas (quatro por cilindro), turbo, injeção direta de combustível, duplo comando de válvulas, variador de fase na admissão e escape, bloco e cabeçote em alumínio
Transmissão: automática do tipo continuamente variável (CVT), com simulação de 7 marchas e possibilidade de trocas manuais por paddle-shifts
Potência: 177 cv a 6.000 rpm (gasolina/etanol)
Torque: 24,5 mkgf a 1.750 rpm (gasolina/etanol)
Suspensão dianteira: independente, do tipo McPherson, com barra estabilizadora
Suspensão traseira: eixo de torção com molas helicoidais
Direção: com assistência elétrica progressiva
Freios: discos ventilados na dianteira e discos sólidos na traseira
Pneus e rodas: Michelin Primacy 4, medidas 215/6o e rodas de liga-leve aro 17
Dimensões (comprimento/largura/altura/entre-eixos): 4,33 m/1,79 m/1,59 m/2,61 m
Porta-malas: 354 litros
Tanque de combustível: 50 litros
Peso em ordem de marcha: 1.422 kg
Aceleração 0 a 100 km/h: 8,9 segundos
Velocidade máxima: 200 km/h (limitada eletronicamente)
Preço básico: R$190.900 (carro avaliado: R$193.200)

Itens de série:

Alarme de segurança com imobilizador, Freios com sistemas ABS e EBD, EBA (Assistente de frenagem emergencial), Freio de estacionamento eletrônico com função Auto Hold, Sistema VSA (Assistente de tração e estabilidade), Sistema HSA (Assistente de partidas em aclive), ESS (Sistema de luzes de emergência), HDC (Assistente eletrônico de descidas), Airbags frontais, laterais e de cortina (6 airbags), Lembrete de afivelamento dos cintos dianteiros e traseiros, Câmera de ré, Alerta de pressão dos pneus (TPMS), Lembrete de esquecimento de objetos no banco traseiro, Sistema Honda LaneWatch, ACC (Adaptive Cruise Control) com LSF (Low Speed Follow), Sistema de frenagem para mitigação de colisão, Sistema de permanência em faixa, Sistema para mitigação de evasão de faixa, Ajuste automático de farol alto, Conjunto óptico em LED (faróis, luzes de neblina e lanternas), Antena tipo Tubarão, Espelhos retrovisores externos com rebatimento elétrico automático, Sensor crepuscular, Escapamento Duplo com ponteiras esportivas, Chave com função Smart Entry (presencial), Sensores de estacionamento Dianteiros e Traseiros, Coluna de direção com ajuste de altura e profundidade, Banco do motorista com ajustes elétricos, Banco traseiro com apoio de braço central e porta-copos, Espelho retrovisor interno fotocrômico sem borda, Ar-condicionado Digital automático Dual Zone com ventilação para os ocupantes traseiros, Entradas USB – 2 dianteiras + 2 traseiras, Volante e alavanca do câmbio revestidos em couro preto, Revestimento dos bancos em couro bege claro, 8 alto-falantes (quatro dianteiros + quatro traseiros), Multimídia 8” touchscreen com interface sem-fio para smartphones com Apple CarPlay e Android Auto, Painel digital TFT de alta resolução 7”, Carregador de celular por indução, Seleção de modo de condução – Normal + ECON + Sport, Inclinação automática de retrovisor direito ao engatar a ré (Tilt Down), Sensor de chuva, Tampa traseira automática com sensor de presença e função Hands Free, Partida remota do motor via controle remoto, myHonda Connect – Conexão entre app de smartphone e o veículo

Compartilhar:
Com 21 anos, está envolvido com o meio automotivo desde que se conhece por gente através do pai, Douglas Mendonça. Trabalha oficialmente com carros desde os 17 anos, tendo começado em 2019, mas bem antes disso já ajudava o pai com matérias e outros trabalhos envolvendo carros, veículos, motores, mecânica e por aí vai. No Carros&Garagem produz as avaliações, notícias, coberturas de lançamentos, novidades, segredos e outros, além de produzir fotos, manter a estética, cuidar da diagramação e ilustração de todo o conteúdo do site.