(Avaliação) O Chevrolet Tracker justifica seu sucesso?

Um carro pode virar um sucesso de vendas por alguns motivos: porque é barato, porque é bom, porque virou moda, ou tudo isso junto, como é o caso do SUV compacto da Chevrolet, o Tracker. Ele vinha do México na primeira geração e usava a mesma mecânica do sedan Cruze, ou seja, era caro de produzir, importado, e acabava custando sempre mais que a concorrência, mesmo que fosse superior em vários aspectos.

Foto: Lucca Mendonça

A reviravolta veio no começo de 2020 com a segunda geração que, assim como os populares Onix/Onix Plus, tem projeto chinês e vários componentes compartilhados. O preço baixou e hoje ele briga de igual para igual com VW T-Cross, Jeep Renegade, Hyundai Creta, Nissan Kicks, Renault Captur e cia. As vendas decolaram e o Novo Tracker se aproxima rapidamente da marca dos 100 mil carros vendidos desde o lançamento, mesmo nos tempos de pandemia e com vários meses de produção paralisada pela crise mundial no fornecimento de chips semicondutores. Nada impediu o sucesso do SUV da GM até agora.

Mesmo com pandemia e paralisação na produção, o “Novo” Tracker já chega perto das 100 mil unidades vendidas (Foto: Lucca Mendonça)

Durante o uso, boas notícias

A versão avaliada aqui é a mais cara, Premier 1.2 turbo, que está tabelada em R$142.490. É um carro bem completo e, na medida do possível, requintado. Traz desde teto-solar panorâmico, frenagem autônoma, alerta de colisão, Park Assist (estaciona sozinho), monitor de ponto-cego, faróis full-LED, internet a bordo e muito mais, algumas coisas que normalmente não se vê em carros desse porte e preço. Na primeira impressão o Tracker parece ser uma espécie de Onix melhorado, o que não se aplica nessas versões mais caras, que tem outra pegada. O acerto de direção, freios e suspensão é elogiável, o que faz dele um bom carro tanto pra se dirigir quanto para andar como passageiro.

Teto-solar panorâmico está entre os itens de série dessa versão mais cara (Foto: Lucca Mendonça)

A “exclusividade” aqui é o ótimo motor 1.2 tricilíndrico turboflex de 132/133 cv e 19,4/21,4 mkgf de torque (gasolina/etanol). Junto com a transmissão automática de 6 velocidades, essa mecânica é um exemplo de eficiência na hora de conciliar suavidade no funcionamento, bom desempenho e, ainda mais, baixo consumo de combustível. O torque por inteiro é disponibilizado já nas 2.000 rpm, então não falta força em momento algum, a não ser que o carro esteja carregado: nessa situação ele sofre um pouco, principalmente nas subidas, mas o câmbio é rápido e não demora nas reduções.

Motor 1.2 turbo é suave, silencioso, forte e, principalmente, econômico (Foto: Lucca Mendonça)

Quando abastecido com gasolina, como durante os nossos testes, o Tracker 1.2 perde 2,0 mkgf de torque, o que faz uma boa diferença na condução, que é compensada pelas médias de consumo que surpreendem: registrados no computador de bordo, 13,3 km/l no percurso urbano e até 19,8 km/l no rodoviário, com o tanque abastecido 100% com gasolina. Além disso, no geral ele anda muito bem em qualquer situação, e os 9,4 segundos de 0 a 100 km/h divulgados oficialmente são bem próximos da realidade. A GM limitou a velocidade máxima em 185 km/h provavelmente para poupar o motor dos mais apressadinhos.

O que também supera as expectativas é o silêncio e suavidade ao rodar, coisa que desagrada em muito SUV. Quase não se ouve o 1.2 trabalhando sob o capô, mesmo nas acelerações maiores, e a transmissão parece nem existir de tão quieta. Para manter isso, a Chevrolet também deu atenção especial ao isolamento acústico externo, que camufla barulhos vindos de fora do carro. Parece mais um utilitário médio do que “de entrada”, a não ser pelo acabamento interno mediano, com bastante plástico como é de se esperar, além, é claro, das dimensões mais contidas.

Sem olhar para o tamanho do carro e nível do acabamento, o Tracker 1.2 se passa normalmente por um SUV médio (Foto: Lucca Mendonça)

Dimensões essas que fazem dele um carro menor que o Onix Plus no comprimento e até no entre-eixos (2,57 m, ficando no meio do caminho entre Onix hatch e Plus). É confortável para até quatro ocupantes, ou cinco caso uma criança vá no meio da segunda fileira, onde o espaço é menor. Os bancos anatômicos e a boa altura da cabine ajudam no bem-estar dos passageiros, mas, como de costume, ele fica devendo as saídas de ar-condicionado traseiras. Quando está calor, quem vai atrás sente muita falta delas, já que até mesmo na frente a ventilação não é das melhores. O porta-malas fica na média com 393 litros, então não merece críticas nem elogios.

Atrás, bastante espaço para até dois adultos e uma criança, mas em dia de calor quem vai ali sofre com a falta de saídas de ar-condicionado (Foto: Lucca Mendonça)

O Tracker surpreende (pelo menos com motor 1.2 turbo)

Pra quem espera um “Onix de salto alto”, o Tracker 1.2 surpreende. É outro nível de conforto, silêncio ao rodar, suavidade de funcionamento, silêncio a bordo e até sensação ao volante, que é a de se estar a bordo de um carro maior e mais refinado. O trabalho da Chevrolet em “gourmetizar” o Tracker foi bem feito nessa versão mais cara, em que pese as limitações de projeto que não tem muito o que fazer (freios traseiros a tambor são um exemplo). De restante, tudo que estava ao alcance da fabricante foi feito: desde boa calibração de molas e amortecedores, capricho no isolamento acústico, maior cuidado com o acabamento etc.

No resultado da equação, o Tracker 1.2 surpreende (Foto: Lucca Mendonça)

Talvez a história com o powertrain do Onix seja outra (motor 1.0 turbo de 116 cv e, por que não, o pouco lembrado câmbio manual de 6 marchas), que é oferecido no Tracker de entrada. Por ser mais barato, claro, esse 1.0T é menos requintado, mas a clássica pergunta se vale mais a pena levar um Tracker 1.0 turbo ao invés de um 1.2 turbo só poderá ser respondida mais pra frente, quando colocarmos os dois carros frente a frente. De qualquer forma, se você tem os R$142 mil para gastar em um SUV compacto, pode colocar esse Chevrolet na sua lista de prioridades quando for escolher o carro novo. No final, o sucesso é mais do que justificável.

Ficha técnica:

Concepção de motor: 1.199 cm³, flex, três cilindros, 12 válvulas (quatro por cilindro), turbo, injeção indireta de combustível, duplo comando de válvulas, variador de fase na admissão e escape, bloco e cabeçote em alumínio
Transmissão: Automática com conversor de torque e 6 velocidades, sem possibilidade de trocas manuais
Potência: 132 cv/133 cv (gasolina/etanol) a 5.500 rpm
Torque: 19,4 mkgf/21,4 mkgf (gasolina/etanol) a 2.000 rpm
Suspensão dianteira: Independente, do tipo McPherson, com barra estabilizadora
Suspensão traseira: Eixo de torção com molas helicoidais
Direção: Tipo pinhão e cremalheira, com assistência elétrica progressiva
Freios: Discos ventilados na dianteira, tambores na traseira
Pneus e rodas: Goodyear EfficientGrip, medidas 215/55. Rodas de liga-leve aro 17
Dimensões (comprimento/largura/altura/entre-eixos): 4,27 m/1,79 m/1,62 m/2,57 m
Porta-malas: 393 litros
Tanque de combustível: 44 litros
Peso em ordem de marcha: 1.271 kg (carro avaliado)
Aceleração 0 a 100 km/h: 9,4 segundos
Velocidade máxima: 185 km/h (limitada eletronicamente)
Preço básico: R$142.490 (carro avaliado)

Itens de série:

06 Airbags (duplo frontal, duplo laterais e duplo de cortina), Alarme Anti-furto, Alerta de Colisão Frontal, Alerta de Ponto Cego, Aviso sonoro do cinto de segurança dianteiro e traseiro, Brake Light, Cintos de segurança do motorista com ajuste de altura, Cintos de segurança dianteiros com pré-tensionadores, Cintos de segurança traseiros laterais e central de 3 pontos, Controle eletrônico de estabilidade e tração (ESC), Faróis dianteiros tipo projetor em LED com luz auxiliar para manobras, Frenagem automática de emergência em baixa velocidade, Ganchos de ancoragem para cadeiras de crianças no padrão ISOFIX e TOP TETHER, Indicador de distância do veículo da frente, Indicador de nível de vida de óleo, Luz de condução diurna / Luz de posição em LED, Regulagem de altura dos faróis, Sistema de freios com ABS, sistema de distribuição de frenagem (“EBD”) e assistência de frenagem de urgência (“PBA”), Sistema de imobilização do motor, Sistema de monitoramento de pressão dos pneus, Adesivo de coluna na cor preto, Friso cromado no contorno inferior do vidro das portas, Grade frontal com detalhes cromados, Lanterna em LED, Maçanetas externas na cor do veículo com detalhe cromado, Maçanetas internas cromadas, Parachoques pintados na cor do veículo com detalhes na cor prata, Rack de Teto na cor prata, Roda de alumínio aro 17″ com design exclusivo para a versão PREMIER, Spoiler traseiro, Volante esportivo com revestimento premium, Acendimento automático dos faróis através de sensor crepuscular, Alça dianteira no teto, lado do passageiro, Alças traseiras no teto, Ar-condicionado digital, Assistente de partida em aclive, Câmera de ré, Carregador Wireless, Chave com sensor de aproximação, Cobertura do porta-malas, Coluna de direção com regulagem em altura e profundidade, Computador de bordo (Informações do Veículo, Viagem e Consumo), Console central com descansa-braço, Controlador de limite de velocidade, Controlador de velocidade de cruzeiro, Controles do rádio e telefone no volante, Descansa-braço traseiro com 2 porta-copos, Desembaçador elétrico do vidro traseiro, Direção Elétrica Progressiva, Easy Entry – Abertura das portas e alarme antifurto através de sensor de aproximação na chave, Easy Park – Sistema de Estacionamento Automático, Easy Start – Partida sem chave, Espelho retrovisor interno eletrocrômico, Espelhos retrovisores externos elétricos, com luz indicadora de direção integrada e na cor do veículo, Interruptor para inibir o airbag do lado do passageiro (com indicação visual), Limpador e lavador elétrico do vidro traseiro, Luz de cortesia no porta-luvas, Luz de cortesia no porta-malas, Luz de cortesia traseira, Luzes individuais de leitura para motorista e passageiro, Painel de instrumentos 3,5″ digital TFT colorido, Porta-malas com sistema de ajuste de espaço variável (piso), Porta-revista na parte traseira do encosto do banco do passageiro, Sensor de chuva com ajuste automático de intensidade, Sensor de estacionamento dianteiro, lateral e traseiro, Sistema de luz “leve-me” (acendimento automático de faróis e lanternas ao destravar as portas pelo controle remoto), Sistema de luz “siga-me” (faróis permanecem acesos por um período de tempo após travamento das portas), Sistema Stop/Start (desligamento e partida do motor automático em paradas do veículo). Inclui botão para desabilitar o sistema, Sombreiras – motorista e passageiro com espelho, cobertura e iluminação, Teto solar elétrico panorâmico, Tomada de força 12V no console central, Transmissão automática de seis velocidades com opção de troca manual (modo de seleção de marcha eletrônico ERS), Abertura remota da tampa de combustível, Trava elétrica das portas com acionamento na chave, Trava de segurança nas portas traseiras, Vidro elétrico nas portas dianteiras e traseiras com acionamento por “um toque”, antiesmagamento e fechamento/abertura automática pela chave, Bancos com revestimento premium nas cores Preto “Jet Black” e Azul “Captain Blue”, Banco do motorista com regulagem de altura, Banco traseiro bipartido e rebatível, Encosto de cabeça do banco traseiro para 3 passageiros com ajuste de altura, Encosto de cabeça dos bancos dianteiros com ajuste de altura, Antena de teto, Chevrolet MyLink, com Tela LCD sensível ao toque de 8″, integração com smartphones através do Android Auto e Apple CarPlay, Radio AM/FM, Função Audio Streaming, Bluetooth para até 2 celulares simultaneamente e Entrada USB, Conjunto de alto falantes – 6 unidades, Entrada USB dupla para o banco traseiro, Projeção da tela do smartphone sem o uso de cabo, Wi-Fi embarcado no veículo para até 7 dispositivos eletrônicos, Acabamento interno em Preto “Jet Black” e Azul “Captain Blue”

Compartilhar:
Tem 20 anos, atualmente cursa Publicidade e Propaganda na Universidade Paulista, é filho do jornalista Douglas Mendonça, e desde que se conhece por gente, convive com carros e está envolvido no mundo automobilístico. Aprendeu a ler nas revistas automotivas, cresceu frequentando oficinas, corridas, encontros e eventos com o pai, e daí veio sua maior paixão: os carros. Um gearhead legítimo, Lucca se tornou o braço direito do pai após sua perda de visão em 2012, ajudando na produção de matérias, reportagens, avaliações e textos sobre carros. No Carros & Garagem, é responsável pela cobertura de eventos de lançamento de novos veículos, e produz avaliações, fotos e comparativos de modelos. Os carros estão até nos seus hobbies: Possui um acervo com mais de 300 manuais do proprietário de veículos diversos, incluindo antigos e modernos, além de colecionar revistas, folders, catálogos, e vários outros materiais automotivos.