(Avaliação) Chevrolet Spin Activ7 e os 7 motivos para comprar uma minivan ao invés de um SUV

Um carro espaçoso, confortável e bom de guiar que carregue 7 pessoas. Se achou que é um SUV, errou! A minivan Chevrolet Spin na versão pseudo-aventureira Activ7 cumpre muito bem todos esses requisitos. Ela e seu principal concorrente Fiat Doblò perderam praticamente todo seu espaço para os tais utilitários “esportivos”, mas as minivans no geral ainda têm muito a oferecer, principalmente nas suas versões de 7 lugares.

Foto: Lucca Mendonça

Nossa estrela Chevrolet Spin foi lançada em 2012 e reestilizada em 2018, ou seja, ainda está na sua primeira geração. Design nunca foi seu ponto forte, mas isso é compensado com a praticidade de um generoso porta-malas, bastante espaço para os ocupantes, uma mecânica pra lá de confiável, baixo custo de manutenção, boa posição de dirigir e um preço acessível considerando o porte e proposta do modelo. Pra provar que ela é uma ótima alternativa aos SUVs, aí vão sete motivos para você repensar suas ideias e comprar uma Spin de 7 lugares:

1 – Preço baixo e conteúdo interessante

Essa versão escolhida Activ7 é a topo de linha e custa pouco menos de R$115 mil. Ela oferece tudo que o modelo tem direito, incluindo sensores de chuva e crepuscular, bancos parcialmente em couro, sistema de concierge OnStar, multimídia de 7”, piloto automático, sensor de estacionamento traseiro, rodas de liga aro 16, entre outros.

Versão topo de linha, bem equipada e com motor 1.8 a preço de SUV compacto intermediário (Foto: Lucca Mendonça)

Esse preço é bem próximo ao SUV compacto intermediário (Nissan Kicks Advance, Citroën C4 Cactus Feel, ou então o conterrâneo Chevrolet Tracker LT, por exemplo), mas no caso da Spin estamos falando da versão topo de linha, com motor 1.8 e sete lugares. De quebra, essa Activ ainda tem o visual “off-road” que faz sucesso com o público consumidor.

2 – Mecânica fácil e barata de manter

Todas as Spin desde 2012 trazem o mesmo consagrado 1.8 8V, que já acumula boas décadas de estrada e vários carros no seu portfólio. Pelo tempo de mercado, as peças de reposição existem aos montes (o que também faz os preços dos componentes caírem bastante), e a manutenção é facilitada já que boa parte dos mecânicos conhecem bem esse propulsor.

Motor 1.8 8 válvulas: Ultrapassado, mas robusto e de manutenção fácil (Foto: Lucca Mendonça)

Nele são apenas duas válvulas por cilindro, comando de válvulas único no cabeçote sem variador de fase, e a injeção de combustível é indireta, ou seja, construção menos complexa, o que significa menos trabalho e menos custo. Na transmissão, seja a manual de 5 marchas ou a automática de 6 marchas desse carro avaliado, a história é igual: são caixas que já estão no mercado há tempos, então não guardam segredos pra hora da manutenção.

3 – Boa de guiar

A Spin é altinha como os SUVs, mas tem o diferencial da boa área envidraçada, coisa que poucos utilitários oferecem. Ou seja, ela também é uma boa opção pra quem busca uma posição de dirigir mais elevada. Ao volante ela agrada pela visibilidade privilegiada, além dos comandos acessíveis e instrumentação de fácil leitura. Só ficaria melhor se os freios fossem a disco nas quatro rodas e tivesse um isolamento acústico mais caprichado (principalmente de motor e câmbio, bem barulhentos no uso por sinal).

Altinha e com apelo de aventureira: Receita de utilitário mas com alguns bônus (Foto: Lucca Mendonça)

Apesar de não fazer bonito na ficha técnica, seu motor é mais do que agradável no uso diário. Ele tem pico de força baixo para um motor aspirado (todo o torque aparece aos 2.700 rpm) e surpreende pela elasticidade em todos os regimes de rotação. Da mesma forma, a transmissão automática de 6 velocidades é bem escalonada, priorizando o consumo e subindo marcha sempre que possível. Só não queira ter emoções ao volante com acelerações brutais ou retomadas de tirar o fôlego: é um carro pra passear com a família.

4 – Espaço interno de sobra

Na frente vão todos muito bem, obrigado (Foto: Lucca Mendonça)

Motorista e passageiro dianteiro vão muito bem, obrigado. O teto alto e painel recuado evitam as incômodas cabeçadas e joelhadas, enquanto a segunda fileira só não acomoda perfeitamente três adultos pela carroceria estreita. Mas ali no meio vai tranquilamente alguém abaixo dos 1,65 m, graças ao túnel central contido e console curto.

Segunda fileira: Bom espaço continua (Foto: Lucca Mendonça)

Nos dois últimos bancos não tem muito jeito: ali é quase sempre apertado, quer seja numa minivan pequena ou em um SUV grande. O ideal é que aquele seja o espaço das crianças, já que os assentos são mais baixos e o acesso é mais complicado. Mesmo assim os últimos passageiros têm cintos de três pontos e alguns bons porta-objetos nas laterais (mas não as saídas de ar-condicionado, um erro grave).

Acesso para a terceira fileira é um pouco complicado: Lá é o lugar ideal para as crianças da família (Foto: Lucca Mendonça)

5 – Porta-malas enorme

Aqui a supremacia dessa minivan não tem nem discussão, já que não existe nenhum utilitário de até R$120 mil com porta-malas tão grande. São nada menos que 553 litros de capacidade na configuração para 5 pessoas, ou seja, com a terceira fileira de bancos rebatida. Preparada para levar 7 passageiros ela ainda tem um espaço razoável de cerca de 160 litros no bagageiro, ideal pra carregar objetos menores ou uma compra pequena de supermercado.

Com 553 litros: Quase imbatível (Foto: Lucca Mendonça)

É um baita diferencial da Spin. Seus “inimigos” utilitários compactos dificilmente passam dos 450 litros, mas a grande maioria comporta menos de 400.

6 – Modularidade

Aqui os bancos podem ser posicionados de várias formas: todos podem ser reclinados para a frente, e a segunda fileira, bipartida, corre sobre trilhos e permite ter sua parte menor dobrada para a frente, facilitando o acesso para os dois últimos assentos. Pena nenhum dos bancos ficarem totalmente embutidos no assoalho como acontecia na sua antecessora Zafira.

Apesar das várias formas de posicionar os bancos, eles não embutem no assoalho quando reclinados (Foto: Lucca Mendonça)

O interior cheio de porta-trecos de todos os tamanhos e formatos se mostra voltado para a praticidade, assim como as quatro portas com ótimo ângulo de abertura e assoalho plano para melhorar a movimentação interna.

Assoalho plano e bancos que correm sobre trilhos são modularidades muito bem-vindas (Foto: Lucca Mendonça)

7 – Carro 7 lugares mais barato do Brasil

Nem adianta pesquisar, não existe nenhum carro 0 km com 7 lugares mais barato que a Spin. Seu maior rival Fiat Doblò é vendido em versão única Essence por mais de R$122 mil e perde muito em equipamentos de série e modernidades, afinal seu projeto já tem mais de 20 anos. E a “pechincha” não para por aí: existe ainda a Spin Premier manual por R$107.500, bem mais em conta. A maior diferença entre ela e a Activ fica pelo visual sóbrio, sem os adereços aventureiros, e a adoção da transmissão manual de 5 marchas no lugar dessa AT6.

Carro 0 km com sete lugares mais barato que a Spin? Não existe (Foto: Lucca Mendonça)

Se você ainda duvida que a Spin 7 lugares é um bom negócio, lembre-se que o SUV mais em conta com a terceira fileira de bancos é o grandalhão JAC T80 de R$160 mil. Um salto e tanto de preço e tamanho. Quer algo barato para os dias atuais e que transporte bastante gente? Não pense duas vezes e parta para uma minivan. De quebra ainda vai fugir da mesmice dos SUVs fazendo um ótimo negócio!

Ficha técnica:

Concepção de motor: 1.796 cm³, flex, quatro cilindros, 8 válvulas (duas por cilindro), aspirado, injeção indireta de combustível, comando de válvulas único no cabeçote, bloco de ferro fundido/cabeçote em alumínio
Transmissão: Automática com conversor de torque e 6 velocidades. Trocas manuais pela alavanca
Potência: 106 cv (gas)/111 cv (etanol) a 5.200 rpm
Torque: 16,6 mkgf (gas)/17,7 mkgf (etanol) a 2.700 rpm
Suspensão dianteira: Independente, McPherson, com barra estabilizadora
Suspensão traseira: Eixo de torção com molas helicoidais
Direção: Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência elétrica progressiva
Freios: Discos ventilados na dianteira, tambores na traseira
Pneus e rodas: Pirelli Scorpion ATR, medidas 205/60. Rodas de liga-leve aro 16
Dimensões (comprimento/largura/altura/entre-eixos): 4,41 m/1,76 m/1,69 m/2,62 m
Porta-malas: 553 litros (cinco lugares) ou 162 litros (sete lugares)
Tanque de combustível: 53 litros
Peso em ordem de marcha: 1.293 kg
Aceleração 0 a 100 km/h: 11,3 s (etanol)
Velocidade máxima: 168 km/h (etanol)
Preço básico: R$114.790

Equipamentos de série:

Airbag duplo, Alarme Antifurto, Alça dianteira de teto, Alças traseiras no teto, Aviso sonoro do cinto de segurança – motorista, Aviso sonoro do cinto de segurança – passageiro, Brake Light, Cintos de segurança dianteiros com pré-tensionadores e ajuste de altura, Cintos de segurança traseiros laterais e central 3 pontos, Assistente de partida em aclive, Controle eletrônico de estabilidade e tração, Luz de posição em LED, Luzes indicadoras de direção laterais, Lanterna de neblina, Regulagem de altura dos faróis, Faróis de neblina, Sistema de freios com ABS e sistema de distribuição de frenagem (“EBD”), Sistema de fixação de cadeiras para crianças (“Isofix e Top Tether”), Sistema de imobilização do motor, Trava de segurança nas portas traseiras, Adesivo de coluna na cor preto (exceto nos veículo na cor Preto Ouro Negro e Azul Blue Eyes), Alavanca do freio de mão com detalhe cromado, Espelhos retrovisores externos elétricos na cor preta brilhante, Grade frontal com moldura na cor preta brilhante, Faróis com superfície interna “Máscara Negra”, Lanternas com superfície interna escurecida, Logomarca Chevrolet com fundo preto (gravatas dianteira e traseira), Maçanetas externas na cor do veículo, Maçanetas internas cromadas, Molduras de proteção lateral na cor preta, Painel de instrumentos em preto “Jet Black”, Parachoques bicolores (cor do veículo e preto) com detalhes na cor preta brilhante, Conjunto roda de aço e pneu sobressalente aro 16″, Rack de teto de barra dupla com design exclusivo Activ, Rodas de alumínio aro 16″ com design exclusivo Activ, Saias laterais com detalhes na cor preta, Volante com revestimento premium e detalhes na cor prata, Destravamento do compartimento de gasolina por controle remoto na chave e botão no interior do veículo, Ar-condicionado, Chave tipo canivete dobrável, Coluna de direção com regulagem em altura, Computador de bordo com mostrador no painel de instrumentos com funções de consumo médio, velocidade média, autonomia, entre outras, Controlador de velocidade de cruzeiro com comandos no volante, Controlador de limite de velocidade com comandos no volante, Desembaçador elétrico temporizado do vidro traseiro, Direção Elétrica Progressiva, Limpador e lavador elétrico do vidro traseiro, Luz de cortesia no porta-luvas, Luz interna de cortesia/leitura para motorista e passageiro, Acendimento automático dos faróis através de sensor crepuscular, Sensor de chuva com ajuste automático de intensidade, Câmera de ré, Sensor de estacionamento traseiro, Luzes de leitura traseiras, Painel de instrumentos com Conta-giros, hodômetro parcial, marcador de nível de combustível e demais funções., Regulador de intensidade da iluminação do painel de instrumentos, Sombreiras – motorista e passageiro com espelho, Tomada de força 12V, Transmissão automática de seis velocidades com opção de troca manual de marchas “Active Select”, Trava elétrica das portas com acionamento na chave, Vidro elétrico nas portas com acionamento por “um toque”, antiesmagamento e abertura/fechamento automático pela chave, Volante com controle das funções do rádio e telefone, Banco do motorista com regulagem de altura, Banco da segunda fileira bipartido e rebatível, Banco da terceira fileira rebatível, Bancos híbridos (tecido e acabamento premium) exclusivo da versão Activ, Banco da segunda fileira corrediço, Encostos de cabeça laterais e central do banco da segunda fileira, Encosto de cabeça dos bancos dianteiros com ajuste de altura

Compartilhar:
Tem 20 anos, atualmente cursa Publicidade e Propaganda na Universidade Paulista, é filho do jornalista Douglas Mendonça, e desde que se conhece por gente, convive com carros e está envolvido no mundo automobilístico. Aprendeu a ler nas revistas automotivas, cresceu frequentando oficinas, corridas, encontros e eventos com o pai, e daí veio sua maior paixão: os carros. Um gearhead legítimo, Lucca se tornou o braço direito do pai após sua perda de visão em 2012, ajudando na produção de matérias, reportagens, avaliações e textos sobre carros. No Carros & Garagem, é responsável pela cobertura de eventos de lançamento de novos veículos, e produz avaliações, fotos e comparativos de modelos. Os carros estão até nos seus hobbies: Possui um acervo com mais de 300 manuais do proprietário de veículos diversos, incluindo antigos e modernos, além de colecionar revistas, folders, catálogos, e vários outros materiais automotivos.